Youtuber e soldado da PM Gabriel Monteiro é expulso da corporação

O youtuber e soldado da PM, Gabriel Monteiro, foi expulso da corporação por deserção. A publicação com a decisão foi lançada no Boletim interno da corporação na terça-feira (4). Gabriel estava lotado no 34º BPM (Magé), teria faltado em um dia que estava escalado para dar serviço e ficou mais de oito dias sem dar qualquer explicação, segundo a corporação desrespeitando a conduta militar, o que teria caracterizado a deserção.


Polêmico, Gabriel vinha se envolvendo em diversas polêmicas e respondia um processo administrativo desde março. Apesar da expulsão, Gabriel ainda pode ser reintegrado à corporação para responder aos processos. Por meio das redes sociais, Gabriel Monteiro informou nessa quarta-feira (05) que não possui mais porte de armas, confirmando que está no processo de expulsão. De acordo com ele, as medidas foram tomadas em decorrência aos questionamentos feitos por ele ao coronel Ibis Pereira, ex-comandante geral da PM, no ano passado. Na ocasião, Gabriel disse que o oficial teria envolvimento com uma das maiores facões criminosas que atua no Rio.

“Se eu morrer, igual meu amigo da foto, saibam que os maiores responsáveis estão na alta cúpula da @PMERJ. Após questionar coronéis que geram suspeitas populares de corrupção, perdi o porte de armas e estou no processo de expulsão da PM. Mesmo sendo o mais ameaçado pelas facções!, postou Gabriel. Atualmente Gabriel possui 1 milhão e 230 mil inscritos em sua rede social no Youtube, onde aborda temas como política e segurança.

Nota do Coronel Ibis Pereira: “Questões internas das corporações militares não devem ser comentadas publicamente por seus agentes. De qualquer maneira, um policial que acusa o outro sem fundamento e materialidade joga contra a memória e honra da corporação. Trata-se de uma ação leviana, descomprometida com o bem da instituição, em busca de holofotes em um ano eleitoral. Nesses 33 anos de Polícia Militar, eu honrei a farda e aprendi que a corporação é um importante elemento de coesão social. Um policial precisa ser, acima de tudo, alguém que cuida da lei e da sociedade, não que a transgride para fins de projeção pessoal (…)

Ainda, pelas redes sociais, Gabriel Monteiro divulgou um vídeo, onde afirmou que está sendo vítima de perseguição. “Eu não desertei. Eu fui surpreendido com a notícia que teria sido expulso, que teria abandonado o serviço. Eu não fiz nada de errado. A polícia ligou para a TV, informando que eu faltei. Eu estava no batalhão da PM, fui liberado”, afirmou dirigindo-se a um tenente-coronel médico da corporação, que por sua vez admitiu que ele havia sido dispensado do serviço, e que teria assinado o documento da dispensa.    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *