Witzel recebe o cargo de governador e empossa secretariado

O governador Wilson Witzel prometeu que vai tratar os criminosos como ‘terroristas’, em sua gestão. A afirmação foi dada ontem, durante solenidade de transmissão de cargo no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio, onde recebeu a faixa governamental do já ex-governador em exercício, Francisco Dornelles. O novo chefe do Poder Executivo contou ainda que vai rever alguns contratos do governo com prestadores de serviço e reafirmou que cortará gastos em todas as áreas. Ele assume o Estado com um déficit de R$ 8 bilhões. Durante o evento, também empossou o secretariado.

“O crime organizado não pode estar mais com a liberdade que hoje dispõe de portar armas de guerra, fazer refém a sociedade e ser tratado de forma romântica como sujeitos que não tiveram oportunidade. Todos tiveram oportunidade. Todos aqueles que quiserem estudar, trabalhar, persistindo, encontrarão o seu caminho. Vamos ajudar a reduzir o índice de desemprego no estado. Gerar emprego, renda. Temos projetos que contarão com apoio de nossas instituições religiosas. Aquele que pega em armas e chama para si a guerra, a guerra deve ter. Não admitiremos a sociedade refém do crime organizado. Como terroristas serão tratados”, garantiu Witzel, reafirmando que assumiu a responsabilidade de reorganizar a segurança pública no estado.

O governador informou ainda que o seu vice, Cláudio Castro, chamou para si a responsabilidade pelo Detran e o Detro, que têm sido bastante questionados. Ainda sobre segurança, contou que pediu ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, a regulamentação da lei antiterrorismo.

“Eu estou propondo ao Congresso Nacional, conversei ontem com o Moro e pedi para regulamentar a lei antiterrorismo. Quem estiver organizando o narcotráfico deve ser tratado com mais rigor, ficar em presídios sem regalias, sem visita, com advogados públicos e tempo de prisão aumentado de 30 para 50 anos. Pedi ao Moro para federalizar umas das nossas unidades prisionais”, disse.

Sobre os drones que ajudarão no combate ao crime, informou que alguns equipamentos já foram adquiridos e já chegaram.

“A intervenção já adquiriu uma quantidade de drones que servem para monitoramento eletrônico, essas imagens serão usadas para fins judiciais, busca, apreensão e prisões”, explicou.

Tendo assinado na última terça-feira, após a posse, decreto estabelecendo corte de 30% em todas as áreas, Witzel contou ontem que será difícil, mas, cumprirá os requisitos constitucionais para a saúde e educação.

“Vamos respeitar os nossos tributos. Por trás deles existe o suor dos empresários e dos trabalhadores. Vamos reduzir os custos, mas, aumentar a qualidade do serviço público. Agradeço aos deputados por manter o decreto de calamidade, para cumprir minimamente os requisitos constitucionais para a saúde e educação. Não dá para cumprir se não tiver materialmente. Mas, vamos tomar medidas que vão permitir que o deficit seja suprido, seja de austeridade, leilão reverso de contratos, desconto de pagamento de contrato, redução de custos de aluguéis, entre outras”, esclareceu.

Após a transmissão do cargo, houve uma cerimônia ecumênica, com participação do babalaô Ivanir dos Santos, interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa; o arcebispo da cidade do Rio de Janeiro, o cardeal Dom Orani Tempesta, o rabino Yousseff Yvanovich, representando a comunidade judaica e o pastor Josué Valandr Jr., da Igreja Batista Atitude, da Barra da Tijuca. No final, houve a primeira reunião do governador com o secretariado, recém-empossado.

Secretários – O governador deu posse aos secretários da Casa Civil e Governança, José Luís Zamith; de Governo e Relações Institucionais, Gutemberg Fonseca; de Fazenda, Luiz Claudio Rodrigues de Carvalho; de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego e Renda, Lucas Tristão; de Infraestrutura e Obras, Horácio Guimarães; de Polícia Militar, coronel Rogério Figueiredo de Lacerda; de Polícia Civil, Marcus Vinícius Braga; de Administração Penitenciária, André Cáffaro; de Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, Roberto Robadey Jr; de Saúde, Edmar Santos; de Educação, Pedro Fernandes; de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Rodrigues; de Transportes, Robson Ramos; do Ambiente e Sustentabilidade, Ana Lucia Santoro; de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, Eduardo Lopes; de Cultura e Economia Criativa, Ruan Lira; de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Fabiana Bentes; de Esporte, Lazer e Juventude, Felipe Bornier; de Turismo, Otávio Leite; das Cidades, Juarez Fialho; da Controladoria Geral, Bernardo Santos Cunha Barbosa; da Procuradoria Geral, Marcelo da Silva; e da Secretária Executiva do Conselho de Segurança Pública, Roberto Motta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 6 =