Witzel promete dobrar efetivo do batalhão de São Gonçalo até 2022

Pedro Conforte –

Dos 300 policiais militares que irão se formar neste final do ano, 50 serão enviados para o 7º BPM (São Gonçalo), garantiu ontem o governador Wilson Witzel. Além disso, ele disse que até o final do seu mandado, em 2022, o batalhão de São Gonçalo contará com 1,8 mil militares, o dobro dos atuais 900 que existem na cidade. São Gonçalo é o segundo município mais populoso do Estado, com mais de 1 milhão de moradores, segundo o último Censo.

“Já mandei 100 [policiais para o 7º BPM], vão chegar mais 50 agora. Até o final do nosso governo, serão 12 mil policiais. Vamos criar as companhias escolas dentro de alguns batalhões para conseguir fazer a formação de 3 mil homens por ano. Porque saem 1.500 policias por ano da Polícia. O último concurso foi em 2014, estou convocando 1.800 policiais, dentre eles 345 mulheres. E agora vamos fazendo a reposição, inclusive de São Gonçalo”, afirmou o governador.

Witzel ainda afirmou que a guerra do tráfico – como acontece atualmente em São Gonçalo – é culpa das leis brandas do sistema prisional. “Nós não podemos ter leis que permitam que os criminosos comandem de dentro do setor prisional o crime organizado. E isso acontece porque a visita acontece. A lei de execução penal tem que ser mais rigorosa com esses chefes do crime organizado, a pena passar de 35 para 50 anos. Eles podem ser enviados para estabelecimento de prisão de segurança máxima fora do Brasil, porque aqui ele ainda conseguem ter contato (visitas) ou você corta todas as visitas ou manda para fora do Brasil”, declarou o governador, que é favorável à prisão perpétua.

“Deveríamos repensar a pena de prisão perpétua. Não sou a favor da pena de morte, já fiz estudos sobre isso, mas sou a favor da prisão perpétua. Prefiro que ele fique preso longe da sociedade do que comandando o crime organizado”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco − dois =