Volta por cima da Vermelho e Branca

A Unidos do Viradouro confirmou o favoritismo e venceu a apuração do Grupo de Acesso A do Carnaval do Rio de Janeiro. Vai voltar a desfilar no Grupo Especial em 2019. A outra favorita, Unidos de Padre Miguel, da Zona Oeste do Rio, ficou com o vice-campeonato e a Unidos da Porto da Pedra, de São Gonçalo, ficou em terceiro. Já a também niteroiense Acadêmicos do Sossego, a azul e branco do Largo da Batalha, ficou em último lugar e foi rebaixada para a Série B.

A vermelho e branco do bairro do Barreto liderou toda a apuração, disputando quesito a quesito com a Unidos de Padre Miguel. O enredo foi ‘Vira a cabeça, pira o coração. Loucos gênios da criação’, do carnavalesco Edson Pereira, abordou a loucura em diferentes aspectos. A agremiação falou de gênios que foram considerados loucos na época em que viveram, como o pintor Leonardo da Vinci, o físico Galileu Galilei e o ator Charles Chaplin. Apresentou ainda os loucos do cinema e da literatura, como Don Quixote e Frankstein. Encerrando o desfile, os loucos do Carnaval, profissionais que levaram inovação à avenida. Com apresentação impecável, levantou Sapucaí. O presidente da Viradouro, Marcelinho Calil, disse que a vitória foi fruto de trabalho. “Eu sempre falei que favoritismo não existe. O que existe é muito trabalho”, contou o dirigente, acrescentando que vai se reunir na próxima semana com o carnavalesco para renovar o contrato dele e do casal de mestre-sala e porta-bandeira.

A vice-presidente da vermelho e branca, Susie Monassa Bessil, dedicou o título ao falecido pai, José Carlos Monassa Bessil, patrono da escola. O último desfile da agremiação no grupo especial foi 2015. A Viradouro foi campeã da Série A em 1990 e 2014 e do Especial em 1997.

A Cubango, que apresentou o enredo ‘O rei que mudou o mundo’, sobre o Bispo do Rosário, também fez bonito na Sapucaí, chegou a ficar na vice-liderança da apuração, mas, no final, terminou em quinto. “Em razão das notas que foram dadas ao casal de mestre-sala e harmonia”, justificou o presidente da verde branco, Rogério Belisário.

“Carnaval com muita luta e empenho de nossa equipe. Nós começamos a trabalhar em junho. Fizemos um projeto em cima de uma verba e 50% dela foi cortada pela prefeitura do Rio e a de São Gonçalo não ajudou em nada. Tendo em vista, a gente trabalhou mesmo assim. Se tívessemos tido o apoio do poder público, como as outras tiveram, teríamos tido o título do acesso. Estamos pensando em 2019. O carnavalesco fez o desenvolvimento do enredo da melhor maneira possível. O público aclamou a gente na saída. Foi um resultado justo e a Viradouro fez um belo trabalho”, afirmou Júnior Cabeça, diretor de Carnaval da Porto da Pedra.

Classificação final
1-Viradouro – 269.7 pontos
2- Unidos de Padre Miguel – 269.4
3 – Porto da Pedra – 269; 4
4 – Inocentes de Belford Roxo – 268.2
5 – Cubango – 268
6 – Estácio – 267.5
7 – Império da Tijuca – 267.4
8 – Alegria da Zona Sul: 266.2
9 – Renascer de Jacarepaguá – 266.2
10 – Santa Cruz: 265.7
11 – Rocinha – 265.4
12 – Unidos de Bangu – 264.3
13 – Sossego – 263.7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + oito =