Volta do reboque

Petrobras anuncia redução do preço da gasolina nas refinarias

A Petrobras anunciou na sexta-feira (19) que o preço médio da gasolina em suas refinarias terá redução de R$ 0,14 por litro, o que representa uma queda de 4,95%. O reajuste começa a valer a partir deste sábado (20). O preço médio do combustível ficará em R$ 2,69 por litro. O diesel não sofre alteração, permanecendo em R$ 2,86 por litro.

O impacto do reajuste nas refinarias, porém, não repercute de forma imediata no custo da gasolina nos postos de combustível. De acordo com nota divulgada pela estatal, as variações para mais ou para menos estão associadas ao mercado internacional e à taxa de câmbio e têm influência limitada sobre o valor repassado aos consumidores finais.

“Como a legislação brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, a mudança no preço final dependerá de repasses feitos por outros integrantes da cadeia de combustíveis. Até chegar ao consumidor são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de etanol anidro, além das margens brutas das companhias distribuidoras e dos postos revendedores de combustíveis”, diz a nota.

Esta é a primeira redução anunciada em 2021. Desde janeiro, o preço médio da gasolina já havia sofrido seis aumentos. Com o novo anúncio, o combustível passa a acumular alta de R$ 46,2% desde o início do ano. Já o diesel subiu 41,6%.

PESSOAL DA DÉCADA DE 50 VAI ESPERAR MUITO PELA VACINA

A expectativa para as pessoas nascidas em 1952 – hoje, com 69 anos de idade – é a espera até abril para o início da faixa da vacinação. Todo o pessoal nascido após – hoje com 60 anos de idade – 1961 só estará totalmente atendido em maio.

Para o IBGE os maiores de 60 anos são 32,8 milhões. Até agora a vacinação alcançou apenas parte

dos maiores de 74 anos. Dizemos parte porque muita gente desta faixa não buscou os postos, por desinformação, desinteresse ou dificuldades de acesso. Mas neste universo estão pessoas mais jovens integrantes dos chamados grupos prioritários, como o pessoal da saúde e outros profissionais amparados pelo Plano Nacional de Imunização.

O Brasil até agora vacinou apenas 11 milhões dos seus 212 milhões de habitantes, dos quais 52 milhões estão na faixa abaixo dos 18 anos e não se inserem no meio do público-alvo.

Clima de guerra

Reagindo à ação pacificadora do Papa Francisco, em sua perigosa visita ao conflituoso mundo árabe, os dirigentes de países poderosos estão se movimentando para atear fogo ao mundo.

Joe Biden substituiu a política norte-americana de boas relações com a Rússia pela agressividade. Afirmou que o presidente Vladimir Putin é “um mentiroso” e prometeu adotar medidas contra o antigo país comunista.

Numa reunião oficial entre diplomatas chineses e norte-americanos o clima foi de troca de acusações.

No Reino Unido Boris Johnson anunciou o fim do Pacto pelo Desarmamento, ao anuncia a elevação de 160 para 240 o número do arsenal nuclear britânico e falou de temores de guerra química, biológica e nuclear.

Poderosos e invisíveis guardadores

Aqueles mais de mil uniformizados com camisas laranjas sumiram das calçadas com o início da pandemia.

Mas eles voltaram de forma invisível, mas com poder de infeccionar a imagem e o bolso dos automobilistas.

Num só dia o amigo motorista que levou um paciente a um hospital e uma senhora que o levou de carro para casa, foi possível colher a surpresa: os dois carros multados pela rápida parada em local permitido e onde não existia nenhum “guardador”.

No para-brisa, para quem quisesse apanhar, um “tíquete da sorte”. Informava da “irregularidade” de não ter visto nenhum guardador ao longo da vida.

Vai pagar onde ou recorrer a quem?

O prefeito Axel Grael precisa ser informado e apurar o fato, adotando medidas cabíveis.

Volta do reboque

Não se sabe porque duas empresas foram contratadas para a prestação de serviços de reboque à municipalidade de Niterói.

Eles que recolhiam carros estacionados em locais proibidos, em nome de uma campanha de educação para o trânsito, estão de volta.

O dinheiro investido daria para a Prefeitura criar vagas de estacionamento, acabando com a necessidade de “paradinhas” dos motoristas onde há placa de proibição.

A notícia é boa para os estacionamentos privados que chegam a cobrar R$ 18 por meia hora de uso de 6 metros quadrados num edifício recheado de consultórios médicos.

Em ruas mais afastadas do “miolo” central caiu tanto a movimentação de carros que há espaço de sobra para estacionamento regular, sem cobranças irregulares pela empresa Niterói-Rotativo.

Carência de enfermarias

Montar uma CTI exige muito planejamento, tempo e dinheiro.

Há meses o noticiário revela carências em quase todo o Brasil. Já houve tempo suficiente para planejar o enfrentamento da crise de carência e eviatr mortes à porta de hospitais, face a superlotação.

Já quanto a enfermarias para o primeiro atendimento, a solução está mais próxima da boa vontade dos dirigentes das áreas de saúde.

Em Niterói, por exemplo, o secretário de Saúde Rodrigo Oliveira diz ser crítica a situação do Hospital Municipal Carlos Tortelly, por falta de leitos.

Bem defronte à unidade existe um prédio com cerca de 10 andares destinado à Faculdade Fluminense de Medicina com obras paradas antes mesmo da gestão do atual reitor.

Uma parceria com a Faculdade de Medicina poderia permitir o uso de um dos seus andares para ampliação do número de leitos e com cooperação dos formandos nas faculdades de Medicina, Enfermagem, etc.

É preciso parar de emitir notas, evitar entrevistas a “incômodos” jornalistas e partir para a ação, saindo da rotina numa situação de emergência.

Uma perda

Talvez ele tinha sido o melhor parlamentar eleito na onda bolsonarista de 2018.

O Major Olímpio continuou no PSL, mesmo tendo discordado de parentes do presidente da República.

Discordou, por exemplo, de Medida Provisória que visava afetar economicamente os jornais do interior.

Recebeu as lideranças de São Paulo e de Niterói, reconhecendo o absurdo pretendido em exame no Senado Federal.

Soube escolher seus suplentes: um empresário gabaritado e um astronauta, hoje ministro da Ciência e Tecnologia.

Não escolheu parentes ou pessoas sem gabarito para a sua eventual sucessão.

Partiu merecendo o reconhecimento público e não apenas dos nove milhões que o elegeram para o Senado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × dois =