Viúva da Mega Sena está em casa e sem tornozeleira

Augusto Aguiar

Após ser sentenciada inicialmente a 20 anos de reclusão, no dia 15, em Rio Bonito, Adriana Ferreira Almeida, acusada de ser a mentora do assassinato do marido, o milionário Renné Sena, em 2007, recorreu da pena e foi beneficiada pela justiça em recorrer em liberdade. Na véspera do Natal, Adriana, que ficou conhecida como “viúva da Mega Sena”, deixou a carceragem da Penitenciária Joaquim Ferreira de Souza, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio. O juiz Pedro Amorim Gotlib Pilderwasser concedeu o benefício.

A decisão chegou a ser adiada por alguns dias, pois não havia tornozeleira eletrônica disponível. Também segundo advogado de Adriana, houve demora porque não havia sido concluída uma pesquisa da Divisão de Capturas e Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter), da Polícia Civil, que verifica se há outro mandado de prisão pendente contra a manicure. Houve ainda demora na chegada do Alvará de Soltura na unidade prisional. Adriana obteve o direito de recorrer da sentença em casa, mesmo sem a tornozeleira eletrônica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *