Vitamina D pode ser boa aliada no combate ao coronavírus

Pesquisas apontam que 77% da população não tem os níveis de vitamina D desejados e esse equilíbrio pode ser alcançado com medidas básicas, como simplesmente pegar sol todos os dias por 15 minutos. Essa formação da vitamina D é extremamente importante para se manter saudável, principalmente em tempos de coronavírus, por conta do isolamento social. Especialistas recomendam que o sol ajuda no reforço da imunidade, uma das principais armas contra a Covid-19.

A médica Ana Sodré conta que no confinamento é importante que as pessoas evitem ficar trancadas dentro de casa.

“O sol, além de melhorar o humor, promove a vitamina D na pele e atua em vários mecanismos humorais e físicos. É um excelente suplemento e ajuda a fixar o cálcio nos ossos. A suplementação vitamínica deve ser receitada por um médico. Todos têm sua composição típica de minerais adequados para a faixa etária para qual se propõe. Não existe um suplemento que todas as pessoas podem tomar. Existe uma falsa sensação de melhora para genericamente um suposto problema físico. Qualquer deficit tem que ser diagnosticado a nível de exame médico ou mineralograma. Se identificado a falta de algum mineral é recomendada a falta daquele. Tem muita coisa que pode ser complementada e suplementada através da alimentação”, explicou.

Segundo Ana, em tempos de pandemia e surgimento de novas doenças, é importante que a população esteja protegida e com seus índices de saúde controlados.

“Vários estudos pelo mundo têm mostrado o papel fundamental da vitamina D na modulação da imunidade inata, sendo capaz de atacar agentes agressores de forma a impedir seu avanço e multiplicação dentro do organismo. A vitamina D é um micronutriente que, entre outras funções no corpo, atua no funcionamento do sistema imunológico, auxilia na absorção de cálcio e tem papel importante no equilíbrio do açúcar no sangue. A falta dela pode aumentar o risco de problemas cardíacos, osteoporose, alguns tipos de câncer, gripes e resfriados, e doenças autoimunes como esclerose múltipla e diabetes”, ponderou.

A funcionária pública Bárbara Sader, de 38 anos, está preocupada com isso e todos os dias coloca as duas filhas para pegar sol de manhã.

“O tempo está mais geladinho e eu as coloco para pegar sol todos os dias no quintal. Quando elas não querem, eu faço o café da manhã no quintal e elas nem percebem. É muito bom para a saúde e eu também fico com elas as vezes. Acho super importante o solzinho da manhã, que além da vitamina D, traz a sensação de felicidade e de vida”, contou a mãe da Fernanda, de 9 anos, e de Sofia, de 4.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × cinco =