Visitação em hospitais estaduais de São Gonçalo e Itaboraí sofre mudanças

Devido ao aumento no número de internações por Covid-19 e com o objetivo de garantir a segurança no atendimento aos pacientes e a integridade dos familiares e também dos funcionários, começou, ontem, a mudança do fluxo de familiares acompanhantes e de visitas aos pacientes internados nos Hospitais Estaduais Alberto Torres (Heat), em São Gonçalo, e João Baptista Cáffaro, em Itaboraí.

O novo fluxo de acompanhantes e visitantes também prevê que apenas acompanhantes em casos previstos pela legislação e com devidas restrições adotadas serão liberados para ficar junto ao familiar internado. A medida foi tomada após a ocupação dos leitos destinados a pacientes com coronavírus ultrapassar os 100%.

“A demanda de pacientes que procura o Hospital Alberto Torres e a UPA do Colubandê vem crescendo nos últimos dias. Estamos trabalhando acima da nossa capacidade para não deixar ninguém sem assistência, mas temos que tomar medidas, como a restrição parcial das visitas, para evitar o aumento da contaminação, principalmente nos pacientes que estão internados em nossos hospitais por conta de outra doença”, explicou o diretor Raphael Riodades.

Os familiares continuarão recebendo notícias dos seus pacientes através de ligação telefônica ou pessoalmente.

“Todos os dias, às 11h, a equipe médica conversa com um familiar na área de convivência das unidades de saúde, e nas recepções da unidade de internação e CTI’s. Nosso maior objetivo hoje é evitar a circulação de mais pessoas dentro dos hospitais e consequentemente sua possível contaminação”, garante a direção dos hospitais.

Os 16 leitos do Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Estadual Alberto Torres (Heat) estão ocupados. A unidade destinou outros seis leitos de terapia intensiva para receber novos pacientes. O Heat também mantém 20 leitos de enfermarias, sendo seis criados esta semana.

A situação no Hospital Estadual João Baptista Cáffaro, em Itaboraí, também é de ocupação plena. Todos os 30 leitos do CTI e os 70 de enfermaria estão ocupados. A direção das unidades tenta viabilizar a abertura de mais leitos de terapia intensiva dedicados à Covid 19 no hospital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × cinco =