Violência faz Detran suspender aulas noturnas de direção

Raquel Morais –

Algumas mudanças envolvendo o processo para tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) estão deixando os futuros motoristas preocupados. Dentro de alguns dias as aulas noturnas serão suspensas até o fim da intervenção federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro, e a normativa valerá em todo o Estado. Em Niterói, uma alteração da rota da prova prática não agradou os candidatos e até os instrutores concordam que o novo local prejudica os concorrentes.

A primeira alteração foi confirmada pelo presidente do Detran, Leonardo Jacob, em audiência pública pela Comissão de Transportes e pela Comissão Especial para Acompanhar o Cumprimento das Leis, da Alerj. A obrigatoriedade do turno noturno foi definida pela Lei Federal 12.217, que entrou em vigor em 2010. Alunos e estabelecimentos estão sofrendo com a violência das ruas.

“O presidente do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Maurício Alves, foi muito sensível a essa demanda e se dispôs, em até 15 dias, a editar uma nova resolução, de caráter provisório, definindo a substituição das aulas noturnas pelas diurnas”, explicou Jacob.

O novo trajeto para treino de autoescolas, na Avenida Washington Luís, foi alterado na semana passada e desagradou alunos e instrutores. O estudante João Pedro Cunha, de 18 anos, conseguiu passar na prova prática na manhã de ontem, após a segunda tentativa.

“Eu perdi a primeira prova no trajeto antigo e consegui me dar bem nesse novo. Mas confesso que o percurso é melhor, mas o espaço que sobra para a prova é muito menor. Sem contar que ainda passam veículos normalmente na rua enquanto estamos fazendo a prova”, frisou.

O jovem aprovou a suspensão temporária das aulas noturnas.

“Acho que é um passo importante que o futuro motorista tem que passar. É diferente dirigir à noite e de dia, e os reflexos ficam mais lentos, além da visibilidade ficar prejudicada com menos luz”, completou.

O instrutor Alberto Barros, de 78 anos, trabalha na função há 52 anos e também apontou que a mudança na rota da prova pode prejudicar o aluno.

“O problema está na área da baliza e quando um aluno está na baliza e o outro precisa passar e seguir o caminho. O espaço fica muito estreito e ele corre um risco muito grande de esbarrar no meio-fio. Essa possibilidade, com o fluxo de veículos e o nervosismo que é comum nessa hora, são fatores que contribuem para prejudicar o aluno”, frisou.

Agora o futuro motorista começa a prova na Avenida Washington Luís, na altura do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro (Iaserj), segue até a Rua Dirceu B. Barros, Rua Professor Heitor Carrilho, segue pela Rua Manoel Pacheco de Carvalho e termina a volta no quarteirão novamente na Avenida Washington Luís. Antes a prova era iniciada na Rua Professor Joaquim Costa Ribeiro, seguia pela Rua Professor Vicente Romanó, Rua Professor Heitor Carrilho, Avenida Jansen de Melo e voltava para a Joaquim Costa Ribeiro.

Sobre essas questões, o Detran-RJ não se manifestou até o fechamento dessa edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + 20 =