Vigilância Sanitária vem se consolidando como referência no estado

A Coordenadoria Especial de Vigilância Sanitária (Covisa) de Macaé, ligada à Secretaria de Saúde, vem se consolidando nos últimos anos como órgão de referência no estado, ampliando seu papel regulatório e educativo. No período de janeiro a julho deste ano, realizou cerca de 8.500 inspeções e licenciou cerca de 400 estabelecimentos. Nos setores de Alimentos e Saúde foram feitas, em média, 1.200 inspeções mensais. Setores como farmácia, saneamento e resíduos contam, aproximadamente, 450 vistorias por mês. A proposta do órgão é manter as ações de controle sanitário e alcançar objetivos como a redução no tempo para licenciamento dos profissionais e estabelecimentos de saúde.

Segundo o coordenador Especial de Vigilância Sanitária, Bruno Paes, estes números demonstram que o órgão tem obtido maior rapidez nos licenciamentos, porém, sem perder seu foco principal que é a prevenção à saúde e a orientação de consumidores e fornecedores de produtos e serviços.

“A descentralização das ações de alta complexidade, em 2016, foi fundamental para o bom trabalho realizado por toda a equipe, além de ser importante para o município, pois oferece maior agilidade ao processo de licenciamento dos hospitais e clínicas com internação”, destaca Bruno Paes.

De acordo com Alexsandro Oliveira, responsável pelo setor de Alimentos da Covisa, as interdições sanitárias obtiveram um número considerado baixo, um total de 10 estabelecimentos. “Os empresários e profissionais têm procurado o órgão para se adequarem à legislação, atitude que os mantêm mais conscientes e informados, tendo como consequência ótimos resultados”, diz.

Outra atribuição da Covisa é monitorar a água distribuída em Macaé com a realização de inspeções na concessionária de abastecimento, bem como análises na água potável distribuída pela mesma. Assim, no período de janeiro a julho, foram realizadas, aproximadamente, 250 análises. Dentre os parâmetros analisados estão: o cloro residual livre, a turbidez, e os coliformes totais. “De maneira geral, a água fornecida em nossa cidade é de boa qualidade e atende aos parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde”, informa Denilson Joaquim Neto, responsável pelo setor de Saneamento da Covisa.

O programa que tem se destacado nos últimos anos é o de “Coleta de Medicamentos Vencidos”, que continua alcançando números bem significativos. Em 2017, no período de janeiro a junho, foram coletadas cerca de 11 mil caixas de medicamentos com data de vencimento ultrapassada e encaminhadas à destinação final correta. Esses medicamentos, quando descartados incorretamente, podem poluir o meio ambiente e trazer graves problemas à saúde da população.

Mais informações no telefone (22) 2762-0935, no e-mail: visa@macae.rj.gov.br ou na sede da Coordenadoria Especial de Vigilância Sanitária que fica na Rua José de Aguiar Franco, 2150, Costa do Sol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − 7 =