Vídeo: Moradores do Palácio pedem justiça pela morte de Elias

Cerca de 100 pessoas se reuniram na Rua Presidente Pedreira, no bairro Ingá, em Niterói, na tarde desta sexta-feira (26), para pedir justiça pela morte do entregador Elias de Lima Oliveira, de 24 anos, que foi baleado na quarta-feira (24), quando saía de sua casa, no Morro do Palácio, para trabalhar, durante uma operação policial na comunidade. Amigos e familiares se reuniram com faixas e cartazes pedindo que “vidas pretas parem de ser ceifadas”.

“O que aconteceu foi uma fatalidade. Meu irmão trabalhava fazendo entrega em um aplicativo de comida, ele era freelancer como motoboy. O meu irmão estava descendo o morro para poder trabalhar. Os policiais enquadraram ele”, disse Leonardo Lima de Oliveira, irmão do entregador.

O grupo caminhou pelas ruas do bairro até a praia. A estudante Joyce Elaine, de 19 anos, amiga de Elias, disse que eles só querem justiça e que mais nenhum inocente morra. “A gente está cansado de morrer. É sempre o jovem preto morador da favela que morre e é acusado de ser bandido. O Elias era trabalhador, um pai muito presente na vida da filha. Vidas negras importam sim. Alguma coisa precisa ser feita para que não nos matem mais”, desabafou a jovem.

Segundo familiares, Elias estava com um boné no momento da abordagem policial, que ficou coberto de sangue. A família nega que Elias tivesse envolvimento com o tráfico de drogas.

A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) está investigado de onde partiu o disparo que matou o entregador de aplicativo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − sete =