Vídeo: Esposa do Hiago conversa com jornalistas na porta da delegacia

Thais Oliveira dos Santos, a esposa do vendedor de balas Hiago Macedo de 21 anos morto na tarde desta segunda-feira em frente à estação das barcas no Centro de Niterói comentou que o marido tinha sempre a mesma rotina de vender bala naquela região onde o caso aconteceu. Ela conta que Hiago já havia mencionado vir sofrendo ameaças por parte de policiais e agentes da guarda municipal que atuam no Centro da cidade.

Veja o vídeo com o depoimento dela.

O vendedor de balas Hiago Macedo, de 21 anos, foi morto com um tiro, no começo da tarde desta segunda-feira (14), em frente à Estação das Barcas, no Centro de Niterói. O principal suspeito do crime é um policial que estava à paisana, passando pelo local. Acusado e vítima teriam discutido antes do crime. O suspeito, que não teve o nome revelado, foi preso em flagrante e a arma usada no crime apreendida. Familiares fizeram manifestações e acusaram o autor do crime de racismo.

Equipes do Segurança Presente, 12º BPM (Niterói), Guarda Municipal e da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG) estão no local. Após o crime, populares se manifestaram, gritaram palavras de ordem contra a polícia e pediram por “justiça”. À polícia, o suspeito afirmou ter presenciado a vítima cometendo o roubo e que por isso efetuou o disparo.

De acordo com dados preliminares da perícia feita pela DHNSG, Iago morreu instantaneamente com um único tiro, na região do tórax. A possibilidade mais provável é que o tiro tenha atingido a artéria aorta. Passageiros das Barcas chegaram a ficar sem poder sair da estação devido ao tumulto. Populares fizeram uma manifestação em frente ao local do crime. A Avenida Visconde do Rio Branco chegou a ter o trânsito fechado e fogo foi ateado em objetos. Com medo de possíveis represálias, comércios ficaram à meia-porta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.