Versão de dose única da Sputnik é lançada na Rússia

Enquanto as cidades de Niterói e Maricá continuam na “queda de braço” com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pela aprovação da vacina Sputnik V, o governo russo anunciou, nesta quinta-feira (6) a aprovação de uma nova versão do imunizante, de dose única, ao invés de duas.

A nova Sputnik V já está registrada na Rússia e deve ter sua aplicação iniciada em breve. O anúncio foi feito pelo Ministério da Saúde local; o Instituto Gamaleya, responsável pelo trabalho de pesquisa; e pelo Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), administrado pelo governo russo e responsável por financiar a elaboração da vacina.

O imunizante foi batizado como “Sputkik Light” e, de agordo com o RDIF, é elaborado com base na primeira dose da Sputnik V. O fundo afirma que a eficácia da dose única é de 79,4%, “superior a muiotas vacinas de duas doses”, afirma o fundo. O órgão também ressalta que a aplicação de apenas uma dose colabora com a velocidade da imunização da população.

Anvisa reprova registro

No final de abril, a Anvisa anunciou que a Sputnik V (versão de duas doses) foi reprovada pela Anvisa popr divérsos motivos, segundo a agência, entre eles a composição do imunizante. A vacina contém um micro-organismo chamado adenovírus replicante. Esse micro-organismo, usado em outras vacinas contra a covid, deveria estar apenas na forma inativa, ou seja, sem a capacidade de se replicar.

Em nota, o Instituto Gamaleya disse que a decisão da Anvisa teve natureza política e ameaçou processar a agência reguladora por difamação. E acrescentou que nenhum adenovírus competente para replicação foi encontrado em lotes da Sputnik V. Mas o presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, afirmou que os documentos apresentados pelo instituto indicam o contrário.

‘Queda de braço’

Em 18 de abril, as prefeituras de Niterói e Maricá informaram que pretendem entrar com um pedido na Justiça Federal solicitando que a Agência Nacional de Vigilância libere a aplicação do imunizante russo Sputnik V em ambas as cidades. As duas cidades vivem na expectativa de receber as primeiras doses do imunizante em maio.

Niterói havia anunciado aquisição de 800 mil doses e Maricá 500 mil. Em 26 de abril, o prefeito de Niterói, Axel Grael (PDT) lamentou a reprovação do imunizante, por parte da agência. De acordo com ele, a administração municipal não vai desistir de lutar contra a Covid-19.

“Niterói se mantém firme no propósito de acelerar a imunização. Para isso, continuaremos cobrando agilidade do Ministério da Saúde, responsável pelo envio de vacinas para os municípios. Também vamos continuar atuando em diferentes frentes para a compra de vacinas seguras e eficazes”, publicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 2 =