Vereadores debatem armamento da Guarda de Niterói

A Câmara de Vereadores de Niterói realizou, na noite de ontem, a primeira audiência pública sobre possível armamento da guarda municipal. A vereadora do PSol Talíria Petrone presidiu a sessão que contou com a participação da secretária de Assistência Social representando o executivo.

A vereadora criticou o prefeito Rodrigo Neves por usar a guarda armada como instrumento de repressão e cobrou a organização do plebiscito à prefeitura. “Precisamos pensar em ampliar os direitos destes trabalhadores. Não temos boas experiência com isso em nosso município”, questionou.

O vereador Leonardo Giordano se colocou contra o armamento. “Isso não nos ajudará a combater a criminalidade”, realçou.
Representando o secretário de Segurança, coronel Chagas, Washington Pereira, inspetor, disse que o município cumpriu todo o curso de capacitação.

O presidente da Associação da Guarda, Rafael Dias, defendeu o debate de grande nível sobre o assunto. “Temos que ter primeiro um entendimento sobre as leis para depois iniciar um debate. Somos agentes de segurança e temos que estar de acordo com a constituição”.

Para Ibis Pereira, ex-comandante geral da Polícia Militar do Rio de Janeiro, a violência tem que ser debatida de forma democrática. “Não conheço o plano do prefeito para armar a guarda. Me parece que este debate é oportuno. Não adianta discutir armamento ou não sem discutir o plano, isso é colocar o carro à frente dos bois”, concluiu Ibis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 5 =