Vereador pede nova licença com atestado médico

Wellington Serrano –

Agora é oficial. O vereador Sandro Araújo (PPS) vai encaminhar nesta quarta-feira (11) à Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Niterói um requerimento no qual solicita licença médica de 120 dias para tratamento de saúde. O documento será acompanhado de atestado médico e, agora, a Casa diante da formalização desse novo pedido vai submetê-lo à apreciação dos vereadores em plenário e após irá convocar o suplente o comerciante Flávio de Araújo Silva, o Fafá, de 48 anos.

O vereador, que vai comunicar hoje a decisão para o prefeito Rodrigo Neves (PV), esclareceu que, após recentes licenças, voltou a se submeter a um exame realizado por uma psiquiatra, que o orientou pelo afastamento. “Ao longo dos 15 dias da licença estava sendo acompanhado pela minha médica, que me pediu para não continuar, pois não tinha condição. O pedido da primeira [licença] foi no dia 8 de abril, mas a depressão entre os meses de junho e setembro teve uma piora e fez meu mandado perder as forças devido à quantidade de problemas pessoais, que é imensa”, revelou o vereador.

O parlamentar faz questão de ressaltar que não quer enganar as pessoas toda hora pedindo licença. “Por isso preferi me afastar do cargo, deixar o suplente assumir e tentar resolver meus problemas pessoais para, posteriormente, voltar e reassumir o mandato com tudo minimamente equacionado e com a força que preciso ter”, revelou.

Sandro agradeceu as mensagens de apoio que, segundo ele, vão ajudar na recuperação que não será fácil. “Vou fazer de tudo para me recuperar, mas não está sendo simples. Já acordei tudo dentro do partido que apoiou a decisão e sugeriu o tempo que for necessário para buscar o equilíbrio novamente”, ressaltou.

Ofício pede fim de investigação de roubo
Sandro Araújo (PPS) informou ontem que determinou o encerramento dos trabalhos de investigação do procurador da Câmara e presidente da Comissão de Inquéritos e Investigações, Ademas Pereira da Costa Neto, que apurava o furto de dinheiro em seu gabinete, ocorrido em setembro. O ofício foi entregue na tarde da última segunda-feira feira.

Segundo o vereador, o dinheiro apareceu dentro de envelopes. “Provamos agora que não era para pagamentos de gratificações como se ouviu dizer. Foi só uma confusão durante as obras de reforma do meu gabinete e, quando verifiquei alguns envelopes levados por mim da Câmara para minha casa, encontrei os referidos envelopes no meio de alguns papéis que estavam em minha posse”, explicou.

O vereador manifestou seu pesar pelo ocorrido. “Sendo certo de que não houve maiores transtornos, solicito que o procedimento interno aberto seja encerrado pela perda do objeto, visto que o montante mencionado foi encontrado”, conclui no texto do ofício.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + onze =