Vendas de artigos natalinos estão em alta em Niterói

Raquel Morais –

A proximidade do Natal está deixando o comércio de Niterói agitado. Os clientes estão deixando para última hora as compras dos produtos para ceia, principalmente bacalhau, castanhas e frutas secas. Comerciantes da cidade confirmam a preferência desses alimentos, que estão com preços bem variados. A Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) também listou esses produtos como opções para as pessoas evitarem os excessos. Além da preocupação com a alimentação, tradição e procedência dos alimentos estão na lista de prioridades dos niteroienses na hora de escolher os ingredientes para a noite de Natal.

O dono do Caneco Gelado do Mário, no Centro, Mário Martins, de 78 anos, já está com os estoques cheios para receber as encomendas da tradicional massa para o bolinho de bacalhau. Muito disputado pelos niteroienses, na massa tem um preparo todo especial e a receita é guardada a sete chaves pelo empresário. “O diferencial nos ingredientes é um dos fatores de sucesso. Mas as vendas ainda estão fracas. Em outros anos já estaria recebendo muitas encomendas. Também estamos vendendo a posta de bacalhau, que é outro atrativo para quem aprecia o prato”, comentou.

A tesoureira Cleide Farias, de 46 anos, já fez sua encomenda de dois quilos da massa para fazer na sua ceia de Natal. O quilo da massa custa R$ 80 e a posta do bacalhau Gadus Morhua sai por R$ 90 o quilo.

Na Casas Pedro, também no Centro, o bacalhau também está liderando o ranking das vendas, seguido pelas castanhas e frutas secas. O peixe custa entre R$ 64,40 e R$ 79,60 o quilo, a castanha por R$ 39,90 a mesma quantidade, as nozes custam R$ 29,90, amêndoa está sendo vendida por R$ 36,20; e as frutas secas como figo, damasco e passas custam R$ 36,60, R$ 38,80 e R$ 17,60, respectivamente.

A terapeuta ocupacional Denise Fernandes, de 53 anos, disse que na sua família cada pessoa fica responsável por um prato de comida e alguns petiscos. “Vou comprar castanhas e meu irmão pediu para eu comprar cereja fresca, mas além de ser difícil encontrar, é muito cara. Acho que o Natal é o ano todo através do respeito entre a família e o dia a dia. Então a cereja não é o mais importante, por isso eu vejo o preço antes de comprar as coisas e só compro o que está dentro do meu orçamento”, brincou.

CUIDADO COM OS EXCESSOS
O presidente da Abran, o médico nutrólogo Durval Ribas Filho, recomenda que é possível fazer boas escolhas alimentares mesmo nesse período. Ele frisou que as ceias de Natal são conhecidas pelas tradicionais guloseimas e delícias. Apesar de ser uma data especial, a ceia natalina pode ser um perigo para pessoas que estão na luta contra a balança.
“Prepare-se com antecedência. Procure diminuir a ingestão de açúcar e adote uma alimentação light duas semanas antes das festas. Evite ao máximo as carnes vermelhas e os pães. É possível balancear o saudável com o agradável e fazer uma ceia light”, frisou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − oito =