Venda de imóveis deve crescer 10% em 2018

Raquel Morais –

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e o Senai Nacional divulgaram que a expectativa de lançamento de imóveis e vendas é de alta de 10% em todo o país. A recuperação está engatinhando, mas no ano passado o setor fechou com crescimento de 9,4% na quantidade de imóveis vendidos. E em Niterói a perspectiva também está positiva e o setor imobiliário estima ser pelo menos estável, em relação ao ano passado.

O corretor de imóveis Jorge Almir, que tem uma imobiliária em Icaraí, disse que ainda é cedo para arriscar números de crescimento para 2018, mas o positivismo é claro. “O ano praticamente começou agora, pois viemos de um período de férias e de carnaval. Ainda não senti uma reação grande no mercado, mas só de ficar estável e não cair as vendas já está bom. A perspectiva é otimista com a melhora da economia”, comentou.

De acordo com os indicadores do FipeZap, que acompanha o preço de aluguel e venda de imóveis no país, Niterói apresentou retração nos últimos 12 meses. O índice acumula queda nominal de 0,52% no preço médio do aluguel e na cidade essa queda chegou a 6,36%.

Almir ainda salientou que o Centro e Icaraí, na Zona Sul, são os bairros que mais possuem ofertas para aluguel comercial nos últimos meses. “Alguns proprietários insistem em valores muito altos e fora do mercado. Quem não se adapta, diminui o valor, conversa com os futuros inquilinos, tem mais dificuldade em alugar e fica com o imóvel fechado, gerando custos”, completou.

A pesquisa da CBIC apontou que o volume de imóveis vendidos no país cresceu 9,4% no ano passado, na comparação com 2016. Foram vendidas 94.221 unidades em 2017, contra 86.140 unidades de 2016. Segundo o estudo, que levou em conta 23 regiões brasileiras, o número de lançamentos de imóveis aumentou 5,2% em 2017. As vendas superaram os lançamentos em 11.878 unidades, o que corresponde a 12,6% do total das unidades comercializadas. Com a elevação das vendas, houve redução de 12,3% na oferta de imóveis. “A expectativa dos empresários é de crescimento. Temos fatores econômicos e cenário que permitem ver que a economia deste ano será melhor que a do ano passado: desemprego negativo, expectativa de crescimento de emprego formal, taxa Selic com expectativa de cair mais, inflação projetada dentro da meta, previsão de crescimento do Produto Interno Bruto [PIB]”, finalizou Celso Luiz Petrucci, presidente da Comissão da Indústria Imobiliária da CBIC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × dois =