Veículos seminovos foram campeões de vendas

Raquel Morais –

Uma pesquisa realizada pela Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto) mostrou que as vendas de veículos seminovos apresentou aumento de 6,5%. Ao todo foram vendidos 14.212.673 carros em 2017 e 13.348.992 em 2016. O levantamento apontou ainda que os veículos com até três anos foram os campeões de comercializações (5 milhões).

Os cinco carros usados mais vendidos foram: Gol (91.900 unidades), Uno (54.669), Palio (53.915), Fiesta (34.360) e Celta (33.302). Os carros comercializados de 4 a 8 anos de fabricação somaram 4,5 milhões de vendas. A Fenauto acredita que a expectativa de vendas de veículos usados para 2018 gire em torno de 6% a 7%.

A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) pontuou que os emplacamentos de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos) apresentaram alta acumulada de 1,33% em 2017, no comparativo com 2016, somando 3.216.761 unidades, ante as 3.174.598 registradas no ano anterior. Em dezembro, o mercado automotivo manteve o ritmo de retomada nas vendas e registrou alta de 7,43% ante novembro, totalizando 301.258 emplacamentos, contra 280.417 do mês anterior. Já com relação a dezembro de 2016, quando foram licenciadas 298.871 unidades, houve leve crescimento, de 0,80%.

“Ao iniciar 2017, a projeção era negativa em mais de 20% e, ao longo do ano, as ações econômicas acertadas geraram efeitos positivos. Quedas sucessivas dos juros e da inadimplência, o aumento da empregabilidade e um melhor acesso ao crédito resultaram na melhora nos índices de confiança e expectativa do consumidor e do empresário, fazendo com que aumentasse o consumo, revertendo, assim, o cenário negativo inicial”, argumentou Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave.

Na hora de trocar o carro, vale a pena pesquisar e buscar um seminovo ‘quase zero’. “Eu quero trocar de carro esse ano e com certeza vou procurar um que seja usado, mas com uma baixa quilometragem. O carro zero ainda está muito caro para minhas condições”, comentou o técnico em informática Sérgio Gomes, 40 anos.

Quem deseja vender o carro, encontra facilidade. “O que está acontecendo é que o Rio de Janeiro está passando por uma situação diferente, não teve uma explosão de vendas em novembro e dezembro, por exemplo. É mais fácil vender seminovo pois o valor custo benefício vale a pena. Existem carros com poucos quilômetros rodados e a diferença chega aos 20%”, comentou Thales de Carvalho, que disse ter vendido uma pick up 2017 com 19 mil km rodados por R$ 110 mil, enquanto zero o mesmo carro custa R$ 139 mil, diferença de mais de 20%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 5 =