Maricá começa imunização na terça-feira (19); São Gonçalo e Itaboraí na quarta (20)

O município de Maricá anunciou que começa na terça-feira (19) a vacinação contr a covid-19. O ato simbólico de imunização será feito no Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, em São José do Imbassaí, a partir das 14h, com representação do público-alvo selecionado pelo Ministério da Saúde que elegeu profissionais de Saúde, indígenas e idosos como prioritários.

O público-alvo é determinado pelo Ministério da Saúde, órgão responsável pela campanha nacional de imunização. E, apesar do aspecto positivo da chegada das primeiras doses, o município ainda aguarda o cronograma do governo federal para entrega dos demais lotes da vacina.

Nesta primeira etapa serão aplicadas 2.035 doses para os grupos prioritários, idosos acima de 75 anos que estão em asilos (86 doses), indígenas que vivem em aldeias (44), pessoas com deficiência (6) e profissionais da área de Saúde que atuam na linha de frente (1.899). Cada grupo vai receber suas doses ‘in loco’, ou seja, as equipes de vacinação irão aos asilos, às aldeias indígenas e às unidades de Saúde.

A Prefeitura já tem um plano montado para o início da vacinação, mas alerta que não haverá imunização em postos de Saúde.

A quantidade de doses foi estipulada pelo Ministério da Saúde e Maricá vai receber o correspondente a 0,88% do total de vacinas CoronaVac enviadas ao estado do Rio de Janeiro – produzida pelo Instituto Butantan, de São Paulo, em parceria com a fabricante chinesa SinoVac. Vale lembrar que o município havia assinado memorando de entendimento com o Butantan solicitando um total de 440 mil doses da vacina, para a aplicação em duas etapas.

Um esquema de segurança foi montado para o transporte das doses desde sua entrada nos limites do município vindas de Niterói, onde fica a sede da Regional Metropolitana II da Secretaria de Saúde do Estado.

São Gonçalo e Itaboraí – A Prefeitura de São Gonçalo anunciou que a cidade vai receber 13.149 doses da vacina contra a Covid-19 nesta primeira etapa. A vacinação começa na quarta-feira (20) às 10h, para todos os profissionais de saúde da ativa, moradores de residências terapêuticas, idosos que estão em instituições de longa permanência (ILPI). Todos os profissionais serão vacinados nas unidades em que trabalham.

Todos receberão a segunda dose após duas semanas da primeira, conforme tratado com a Secretaria de Estado de Saúde. Portanto, as demais vacinas só serão entregues após a aplicação da primeira dose. Todas as decisões que estão sendo tomadas são baseadas no informe técnico do Ministério da Saúde.

No último sábado (16), a secretaria recebeu 312 mil seringas com agulhas da Secretaria de Estado de Saúde. A vacina contra a covid-19 é contraindicada para menores de 18 anos, gestantes, pessoas que já apresentaram reação anafilática confirmada a qualquer componente da vacina e aquelas que estão com sintomas da doença.

Itaboraí também deverá dar início à vacinação na quarta, com a aplicação das primeiras doses. O calendário de entrega dos imunizantes aponta que a cidade receberá 4.620 frascos individuais (divididos em dois ciclos de aplicação) da vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

Assim como o Estado, a Secretaria Municipal de Saúde vai seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde. Os primeiros itaboraienses vacinados serão os trabalhadores da saúde da linha de frente, que compõem a rede de urgência e emergência, além de idosos das instituições de longa permanência. Os idosos serão vacinados nas próprias instituições públicas pela equipe volante de imunização e os profissionais de saúde serão vacinados nos ambientes de trabalho.

Fases – O plano de imunização inclui quatro fases de vacinação. Após a primeira fase, o segundo grupo de pessoas que será vacinado inclui pessoas de 60 a 74 anos. Na terceira fase, o plano prevê a vacinação de pessoas com comorbidades. Já a quarta fase incluirá professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e a população privada de liberdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 3 =