Vacina de vento: técnica de enfermagem vai prestar serviços comunitários

A técnica de enfermagem Rozemary Gomes Pita, envolvida no caso da “vacina de vento” em Niterói, assinou acordo de persecução penal com a Justiça. Ou seja, ela irá cumprir uma série de medidas alternativas após confessar a responsabilidade pelo fato, durante audiência na 1ª Vara Criminal de Niterói.

A profissional se comprometeu a pagar multa, no valor de um salário mínimo (R$ 1,1 mil) e prestar três meses de serviço comunitário, em favor de instituição social ainda a ser definida. Rozemary foi processada por Infração de Medida Sanitária Preventiva.

Contudo, a defesa da técnica de enfermagem solicitou à juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza, responsável pelo processo, que a profissional tivesse revogada a proibição para exercer função pública. A alegação era que Rozemary, após a suspensão, estava sem fonte de renda que viabilizasse o pagamento da multa.

A magistrada aceitou a solicitação e revogou a proibição. A reportagem entrou em contato com o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-RJ) e questionou se o registro de Rozemary seria restabelecido. A Prefeitura de Niterói também foi procurada e perguntada se a técnica seria readmitida. No entanto, ambos não responderam, até o momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + 17 =