“Vacas magras”, soluções caseiras

Augusto Aguiar –

Em tempo de “vacas magras” e escassez de recursos, o jeito que a Polícia Militar está encontrando para colocar as viaturas para circular durante o patrulhamento nas ruas está sendo a parceria contra o obstáculo do sucateamento da frota. Na totalização, a situação no estado está. De acordo com o noticiário diário, cerca de 52% de viaturas estão inoperantes, sem manutenção e com poucas perspectivas de solução financeira para o problema, a curto prazo. Enquanto a verba para manutenção não chega, estimada em R$ 93 milhões, e da renovação da frota, R$ 60 milhões, não é liberada, cada município trata de tentar contornar a situação a seu modo.

Em Niterói, segundo avaliação do subcomandante do 12º BPM, tenente-coronel Fábio Marçal, a proporção de viaturas para manutenção na unidade seria da ordem de 30% e a solução encontrada foi a parceria com vários segmentos da cidade para garantir a operacionalidade.

“Graças a essa parceria está dando para administrar os poucos recursos que chegam. Atualmente temos parceiros como o CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Sindilojas, associações de moradores, grupos de alertas (no whatsapp), como nas regiões Oceânica e de Pendotiba (por exemplo), que nos ajudam a superar esse desafio”, explicou Marçal.

Ele acrescentou que em alguns bairros é possível encontrar oficinas nas quais profissionais estão realizando os reparos nas viaturas do 12º BPM, citando uma importante iniciativa desenvolvida na Ponta da Areia. Marçal exemplificou ainda uma outra orientação que partiu do Estado, onde cada batalhão está autorizado a buscar soluções dentro de sua região de atuação para resolver o problema de falta de manutenção da frota. Nesse caso os serviços prestados por oficinas que aderirem cobrariam pelo serviço executado com preços mais em conta, geralmente sem a cobrança de mão de obra, o que faz cair os custos.

Marçal revelou que a prefeitura estaria em fase de implementação da elaboração de um contrato que beneficiará o batalhão da cidade na solução desse problema, mas que ainda não estaria em fase de execução, pois segundo ele uma licitação estaria em andamento. Na vizinha São Gonçalo, onde o efetivo do 7º Batalhão é inferior ao de Niterói, o problema de sucateamento da frota de viaturas estaria ainda mais grave. No mês de setembro o vereador Sandro Almeida (PSDB) coordenou o recolhimento de 10 mil assinaturas de moradores do município, com objetivo de cobrar providências das autoridades estaduais e federais no sentido de resolver vários problemas relacionados a segurança da cidade, entre os quais providências das autoridades, entre as quais aquisição de novas viaturas para as policiais Civil e Militar e recuperação das viaturas danificadas que encontram-se paradas no pátio do 7º BPM.

A situação de precariedade das viaturas da polícia (entre outros) ficou evidenciada na recente operação realizada no Complexo da Serrinha, em Madureira, Zona Norte do Rio, na manhã de quinta-feira, na qual o blindado da PM sofreu uma pane no interior da localidade em meio a ação policial. Inoperante, o popular “caveirão’ (do 9º BPM/Rocha Miranda) teve de ser retirado da localidade com ajuda de um reboque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + nove =