Usuários do Hospital de Clínicas Alameda relatam problemas na realização de exames e cirurgias

Niteroienses que estão com parentes internados no Hospital de Clínicas Alameda, na Zona Norte de Niterói, reclamam da demora no atendimento e na realização de procedimentos na unidade. Além disso cirurgias também demoram tempo, que pode ser crucial, em excesso; além de resultados de exames fundamentais para início de tratamentos, como suspeita de Covid-19, que levam dias para serem liberados. Alguns casos chegam a ser levados na justiça para serem solucionados.

Internado desde o dia 20 de junho o morador do Fonseca, Edson de Menezes Lima, de 72 anos, estava com uma ferida na unha do dedo do pé. A filha dele contou que a médica que atendeu ele disse que ele deveria ficar internado para receber medicamento venoso e o cirurgião teria que o examinar, pois ele é diabético, e tinha risco de perder o dedo do pé. “O hospital demorou muito no pedido de exame para ele e ainda pediu errado e teve que pedir de novo e essas burocracias foram passando os dias e agravando o problema. Ele acabou entrando na cirurgia e perdeu dois dedos. E mesmo assim foi pedido mais tratamentos e nisso continuou a demora e ele teve que fazer outa cirurgia e perdeu a metade do pé”, lamentou a professora Gabriela Amaral, 38 anos.

A professora explicou ainda que essa última cirurgia foi no dia 19 de julho e essa situação agravou o psicológico do aposentado. “Ele não estava se sentindo bem e não foi fazer o procedimento na câmara hiperbárica. No final de semana ele apresentou sintomas virais e falta de ar e a médica isolou ele por estar com suspeita de Covid-19 no dia 25 e somente no dia 27 o hospital fez o exame nele. Dois dias para fazer o exame e quantos dias teremos que esperar para o resultado? Enquanto isso o tratamento na câmara não está sendo feito e o pé dele não está cicatrizando. Meu pai está com o psicológico afetado, meu pai é lúcido e independente e ele quer sair do hospital. Eu fico muito chateada com isso tudo e preocupada e é um desgaste para conseguir alguma coisa. Eu tive que entrar com advogada para conseguir os procedimentos do meu pai. Isso é um absurdo”, contou a professora que mora em Rio das Ostras.

O aposentado Rozivel José Ferreira, 80 anos, está internado desde 14 junho e estava com dor no abdômen e não sabia o que era, e foi internado por suspeita de pancreatite. E no dia da internação passou por uma tomografia computadorizada e apontou um cálculo nas vias biliares. “Eu tive que fazer um outro exame e uma ressonância magnética e o resultado demorou mais de 10 dias para sair o pedido. E nessa espera tive duas crises com muita dor. Agora eu estou esperando para fazer a cirurgia e não consigo. Tem mais de um mês que eu estou internado. Ficar internado é muito chato e ainda estou exposto a pegar até mesmo o coronavírus”, frisou o aposentado.

O morador do Centro também teve que ter ajuda de advogados para conseguir dar celeridade aos procedimentos, e já faz planos quando tiver a alta. “Vou soltar fogos e comer um peixe assado e tomar um vinho”, brincou.

Sr. Edson e Rozivel estão internados na unidade e custeados pelo plano de saúde Geape, que também foi foco de reclamações. “O plano demorou muito para autorizar exames, tratamentos e procedimentos”, acrescentou Gabriela, filha do sr. Edson.

O Hospital de Clínicas Alameda foi questionado sobre o assunto e informou que segue rigorosamente as diretrizes preconizadas pelo Conselho Federal de Medicina e o Código de ética Médica, assim como as normas da ANVISA.Vale ressaltar que alguns procedimentos cirúrgicos que não configuram emergência médica, necessitam de um prazo para liberação pelas operadoras de saúde, tanto do procedimento médico em si, como da liberação dos materiais envolvidos na cirurgia, o que independe da vontade do hospital. Em relação à demora na liberação de resultados de exames de Covid, informamos que esses exames são realizados em laboratório externo, referência nacional neste tipo de exame, como é feito na maioria dos Hospitais, dependendo assim da sua liberação, o que em média não passa de 2 dias. Além disso, falando em tratamento de pacientes com Covid, não há na literatura médica nenhum medicamento que trate especificamente o Covid, havendo apenas tratamentos sintomáticos para esses pacientes, ou seja, independentemente do pequeno tempo entre a realização do exame e a liberação do resultado, esses pacientes permanecem sendo tratados clinicamente, não havendo nenhum prejuízo à sua saúde.

A Geap informou que a Agência Nacional de Saúde Suplementar estabelece prazos de garantia de atendimento diferente para cada tipo de procedimento. A Geap Saúde cumpre rigorosamente esses prazos e diretrizes estipulados, tendo o costume de proceder com as autorizações o mais rapidamente possível. Todas procedimentos são realizados dentro dos prazos estabelecidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + quinze =