Uniforme da rede estadual não agrada pais e alunos

O ano letivo já começou e tem pais e alunos que não estão 100% felizes com a rede estadual de ensino. Dessa vez não é a merenda, a falta de climatização e nem as faltas de professores. O problema relatado é o modelo do uniforme dos alunos. O novo design foi decidido através de votação no ano passado mas não agradou a comunidade escolar por várias questões, por exemplo, pelo tecido ser muito quente e prejudicar a transpiração. A cor totalmente branca também foi alvo de reclamações por ‘sujar muito fácil’ e dar muito trabalho para a limpeza, um gasto extra em tempos de crise financeira.

As reclamações são diversas a começar pelo material que é muito quente e não corresponde ao clima do Estado. Na etiqueta da blusa isso fica bem explícito na composição do tecido com 50% de poliéster e os outros 50% de algodão. Os alunos ficam com mais calor pelo pano ser mais pesado e além disso a cor branca é facilmente manchada por sujeira. “A blusa fica encardida mais fácil e se antes dava para meu filho usar duas vezes sem lavar, agora eu tenho que lavar a roupa dele todos os dias. Sem contar que ele recebeu apenas duas blusas. Então dia sim e dia não eu lavo roupa. Isso no final do mês é mais caro e eu gasto mais produtos”, frisou o autônomo Bruno Costa, 40 anos, pai de aluno da rede estadual.

Além disso a gola incomoda o pescoço e junto ao material com poliéster, o resultado é mais transpiração. Outra queixa é em relação ao tamanho das blusas. “Minha filha teria que vestir o GG e ela está vestindo o G. Isso é constrangedor e a blusa fica apertada nela que está na adolescência e tem a insegurança com a imagem. Ela só vai para escola de casaco”, lamentou uma mãe de uma aluna que não quis se identificar. O inverso também acontece com alunos mais magros que vestem PP e são obrigados a usar o tamanho M, que é o que a maioria das unidades oferecem para os estudantes.

A TRIBUNA noticiou, no ano passado, a mudança do uniforme da rede estadual de ensino. E na página do jornal alguns leitores se manifestaram justamente sobre esse assunto frisando esses pontos negativos, principalmente em relação ao tecido. “Na minha sala de aula não tem ar condicionado e eu sinto muito calor. A gola social da blusa incomoda ainda mais. O desenho é bonito e é muito bom ganhar uma blusa nova da escola. Mas meus amigos reclamaram muito também. Não está de acordo com o clima da cidade e tinha que ser um tecido mais leve”, ponderou uma aluna que também não quis se identificar.

A escolha do novo uniforme foi feita em setembro passado onde 15 projetos, uma por Diretoria Regional, foram votados com o tema “Juventudes pela Paz nas escolas” através da internet. Quem ganhou na votação, com 9.719 curtidas e 23% dos votos das artes’, foram três alunos do Ciep 021 – General Osório, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. José Nascimento da Silva, Kellytha Benjamim dos Santos e Vitor de Moraes Paiva fizeram o desenho aprovado.

A Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (Seeduc) divulgou a seguinte nota: ‘primeiramente é importante informar que, após 10 anos, a Seeduc está distribuindo uniformes gratuitamente aos alunos da rede pública estadual do Rio de Janeiro. Como retratado na matéria, o desenho do novo uniforme foi elaborado pelos estudantes e escolhido por meio de votação nas redes sociais, que foi amplamente divulgada nas unidades de ensino. Serão mais de dois milhões de camisas, sendo duas golas polo e uma camiseta para atividade esportiva. Quanto ao tamanho das camisas, há P, M, G e GG. Cabe à direção de cada unidade escolar solicitar os tamanhos e organizar a distribuição’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 15 =