Uma refeição com reforço de peso

Como participante da Estratégia de Fortificação da Alimentação Infantil com Micronutrientes – NutriSUS, do Governo Federal, Quissamã deu início ontem à suplementação alimentar na Creche Rachel Francisca Carneiro da Silva. O objetivo é potencializar o pleno desenvolvimento infantil, a prevenção e o controle das deficiências nutricionais.

O município recebeu, inicialmente, 5.100 unidades do suplemento para serem utilizadas por 85 crianças. Posteriormente a implantação deste projeto se estenderá para as demais creches da rede. A ação consiste na adição de um sachê contendo uma mistura de vitaminas e minerais em pó em uma das refeições oferecidas diariamente às crianças, para fortificação da alimentação com micronutrientes (vitaminas e minerais).

Para a diretora da creche, Marli de Almeida Manhães, esse suplemento ajuda a criança na questão de insuficiência de minerais e vitaminas, porque muitas delas não tem a alimentação adequada em casa e, com a adição dessa multimistura, se faz um balanceamento das necessidades do organismo.

Segundo a enfermeira Cristiane de Souza, responsável pelo Programa Saúde na Escola (PSE), esse é o ponto de partida para inserir micronutrientes na alimentação das crianças de 6 meses a 48 meses. Rico principalmente em ferro, só tem restrição para as crianças portadoras de anemia falciforme. Todas as demais irão receber essa complementação, no almoço, durante 120 dias no ano, sendo sessenta dias corridos em cada semestre.

“Considerando as evidências e o impacto positivo da fortificação com múltiplos micronutrientes na redução da anemia e outras carências nutricionais específicas, a ação tem o objetivo de potencializar o pleno desenvolvimento infantil, a prevenção e o controle de tais deficiências na infância”, explicou Cristiane.

A nutricionista Mariana Oliveira Monteiro, responsável pelas três creches da rede pública, informou que durante o dia as crianças recebem três refeições: café da manhã, que pode ser com suco ou leite, pão, biscoito ou bolo; almoço com feijão, arroz, um tipo de carne, legumes e uma fruta de sobremesa, sempre variando o cardápio; e lanche no meio da tarde, que pode ser doce ou salgado, como canja, arroz-doce, macarrão com carne moída, angu doce, mingau, bolo e suco, canjica, sopa, canja.

A equipe deu início ao trabalho com pesagem e medição de todas as crianças, para um melhor acompanhamento do desenvolvimento de todas ao longo do processo. E, para garantir o pleno desenvolvimento na infância, é fundamental se fazer essa complementação com micronutrientes que permitam o enfrentamento, não só da mortalidade, mas também das infecções, desnutrição e obesidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =