Uma história de superação, amor e solidariedade

Em julho de 2016 um jovem de 19 anos viu sua vida mudar completamente depois de levar um tiro em um
assalto e perder os movimentos das pernas. O que Jeferson Ferreira, hoje com 24 anos, não sabia, é da força e
do apoio que receberia de tantas pessoas. Depois de uma vaquinha feita pelos amigos e familiares ele conseguiu
uma cadeira de rodas para se deslocar e hoje, conta com a mesma iniciativa para conseguir um outro equipamento que lhe dará mais liberdade para se locomover sozinho.

“Eu trabalhava em uma peixaria junto com meu irmão gêmeo. A gente conseguiu dar entrada em uma moto. Tínhamos
acabado a escola e estávamos trabalhando muito para conseguir conquistar as nossas coisas. Mas a vida
nos pregou uma peça. Uma semana depois de conseguir comprar a moto, estávamos voltando do trabalho e ali
no Barro Vermelho (bairro de São Gonçalo), fomos abordados por bandidos, mas não ouvimos eles mandando a
gente parar porque estávamos de capacete. Quando eu percebi que era um assalto, eles já tinham atirado. Um tiro
atravessou o braço do meu irmão e parou na minha coluna. O que me fez ficar paraplégico”, conta Jeferson.


Desde então Jeferson luta para conseguir uma melhor qualidade de vida. Com a ajuda de muitas pessoas ele
conseguiu a cadeira de rodas para se locomover. Mas a adaptação não foi nada fácil. Segundo o estudante de
psicologia, ele não queria mais viver.

“Eu caí em uma depressão muito grande. Eu não conseguia imaginar como seria a minha vida em uma cadeira
de rodas. Durante os três primeiros anos eu tive que ter muita força de vontade para superar, porque
nem queria viver mais”, conta.

Jeferson teve dois apoios fundamentais para que ele esteja aqui hoje contando a sua história e inspirando
outros jovens: a família e o esporte. “Para me reerguer psicologicamente o esporte me motivou bastante. Mas
o que mais me deu força para continuar, foi a minha família. Porque me ver em depressão era muito difícil para
eles. Eu senti que estava acabando com a minha família aos poucos. E eu não queria isso. Eu desejava morrer e
sei que era muito difícil para a minha mãe ouvir tudo isso, e também para o meu irmão e para os meus amigos.
Então eu coloquei na cabeça que eu precisava me reerguer para dar felicidade a eles”, desabafa Jeferson que
também se disse muito grato ao esporte. Ele hoje treina canoagem na Praia da Boa Viagem.

Jeferson e a mãe Carmem Miranda


E dizem que quando a gente sorri para a vida, ela sorri de volta. Em meio a todo o caos, depois que Jeferson
decidiu viver, ele encontrou mais uma luz. Há um ano e meio ele conheceu a namorada, Rafaela Souza. “É ela quem me passa força”.

Jeferson e Rafaela


Em fevereiro do ano passado, Jeferson teve mais uma conquista. Iniciou, ao lado do irmão, a faculdade de Psicologia.

“Passamos por muita coisa até chegar aqui. Não foi nada fácil passar pela morte e superar esses momentos difíceis
da vida. O pior de tudo passamos juntos, eu sinto muito orgulho da nossa história, da força que temos pra seguir
nos superando a cada dificuldade”, escreveu em uma publicação na rede social no primeiro dia de aula.

Jeferson e o irmão gêmeo Jackson


Os amigos e familiares se uniram para ajudar Jeferson mais uma vez. Ele quer ter mais liberdade de locomoção e
não depender tanto das pessoas para fazer suas atividades diárias. Para isso, está sendo feita uma vaquinha online
com objetivo de arrecadar R$ 15 mil. O valor arrecadado será destinado para a compra de um kit motorizado, que pode ser acoplado a qualquer modelo de cadeira de rodas manual, independente de marca, tamanho ou nacionalidade, transformando-a em um triciclo motorizado elétrico, o que aumenta significativamente a mobilidade, proporcionando liberdade e autonomia para o usuário.


“Vai me dar uma sensação de liberdade melhor. Mais qualidade de vida. São muitas limitações nas ruas de São Gonçalo. Com isso eu vou ter mais acessibilidade para resolver minhas coisas”, explica Jeferson.


No Instagram, quase 8 mil pessoas já visualizaram o vídeo postado por ele pedindo ajuda. Nesse vídeo, Jeferson
fala de um equipamento chamado Kit Livre.

“Eu já consegui comprar essa cadeira de rodas com a ajuda de vocês. O que me dá mais mobilidade nas ruas.
Mas sinto que ainda assim eu sinto que não é o suficiente pra mim. Mas graças a tecnologia, foi inventado o Kit Livre. Ele é um garfo motorizado que se encaixa na minha cadeira a tornando um triciclo, isso me dará mais
liberdade e prazer tornando a minha vida como cadeirante melhor”.


Quem puder ajudar, basta clicar aqui no link vakinha e doar a quantidade que puder.


KIT LIVRE – O equipamento foi criado em três estilos: urbano, off road e o estilo clássico. Eles são oferecidos
em diversos modelos manuais ou com motorizações que vão de 350w chegando a 1500w. O equipamento que pode ser usado até por crianças, pesa em tono de 15kg e pode ser acoplado e desacoplado pelo próprio cadeirante.
Ele funciona como uma moto, mas tem somente acelerador e freio. Obstáculos urbanos bastante frequentes
como degraus e buracos, podem ser ultrapassado facilmente com esse equipamento.

“Colabore com a vakinha com o que puder, divulgação, dinheiro. Eu conto com vocês mais uma vez para me ajudar nessa batalha”, pede Jeferson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 11 =