Um milhão de infrações e zero de multa na Ponte

Geovanne Mendes –

Cerca de um milhão de motoristas foram flagrados nos últimos 11 meses dirigindo acima dos 80 km/h e nenhum deles recebeu o auto de infração, é o que afirma a Polícia Rodoviária Federal (PRF), já que após quase um ano de instalados, os 32 radares da Ponte Rio-Niterói, que teriam por finalidade coibir e punir motoristas que dirigem na via em alta velocidade, não estão aplicando multas para quem desobedecer as regras de limite de tráfego da via.

O pleno funcionamento dos radares chegou a ser anunciado para junho de 2016, mês em que os equipamentos começaram a monitorar a Ponte, mas uma divergência entre a PRF e a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) sobre a configuração dos equipamentos acabou suspendendo o prazo para o início do monitoramento, já que os aparelhos precisariam de ajustes.

Apesar de não ter a multa aplicada efetivamente, os radares, que ficam instalados nos pórticos 11,16,17 e 22, registraram os motoristas que passaram pela via com excesso de velocidade. De acordo com a PRF foram 986.680 infrações entre os meses de junho de 2016 e abril deste ano.
Segundo a Ecoponte, concessionária que administra a via, houve um crescimento de infrações assim que os equipamentos foram instalados, seguido por um período de estagnação e, depois, um novo aumento de irregularidades.

Vários testes precisam ser feitos para que os equipamentos funcionem e, para isso, é necessário que se cumpram várias etapas, que passam por estudos para atestar os pardais na via até a calibragem de imagens. Em fevereiro deste ano foram feitos ajustes ao teste de imagem dos equipamentos, mas seia necessário um novo teste para que haja um funcionamento pleno do sistema. A PRF informou que não há previsão para que os radares comecem a funcionar na Ponte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *