Um local onde o jovem se sente acolhido

Com o objetivo de acolher, orientar, identificar demandas e oferecer acompanhamento especializado a adolescentes na faixa etária de dez a 19 anos, o Centro de Referência do Adolescente (CRA), ligado à Secretaria Municipal de Saúde, de Macaé, foi criado a partir da necessidade de reafirmação dos preceitos trazidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente aliados às diretrizes do Sistema Único de Saúde. Cerca de sete mil jovens receberam atendimento no Centro no primeiro quadrimestre do ano.

Assistida pelo CRA há dois meses, após apresentar problemas emocionais, uma adolescente de 17 anos foi diagnosticada com depressão e encontrou no Centro o apoio e os cuidados que necessitava. “O CRA faz a gente enxergar novas possibilidades, novos caminhos. Hoje, eu consigo conciliar estudo com trabalho e tenho planos futuros. Antes, eu não tinha vontade de viver. Me sinto protegida, acolhida e agradecida”, pontuou a adolescente.

O programa conta com uma equipe composta por assistentes sociais, psicólogos, fonoaudiólogos, nutricionista, fisioterapeuta, enfermeira, clínica geral, dermatologistas, ginecologista/obstetra, além de estagiários da área de serviço social da Universidade Federal Fluminense de Rio das Ostras (UFF), nutrição e enfermagem da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e parceria com o programa de residência do Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira do Centro de Ciências da Saúde da UFRJ.

“O CRA busca ser elo entre adolescentes e demais serviços existentes no município. Quando os assistidos necessitam de atendimento que não dispomos, efetuamos contato com a rede municipal de saúde para que o mesmo saia do Centro com o agendamento já estabelecido”, pontuou a coordenadora do CRA, Monique Rangel.

Os atendimentos no CRA se dividem em grupos e individuais. O trabalho em grupo é efetuado por meio de oficinas socioeducativas, como “Conversa de Adolescentes”, “Grupo Liberdade”, “Repensando a Nossa Sexualidade”, “Sessão Pipoca”, “Planejamento Reprodutivo e Puerpério”, “Grupo de Gestantes”, “Grupo Mamãe e Bebê” e “Curso Saúde e Cidadania”. Já os individuais acontecem somente com o adolescente, de forma a garantir o sigilo e a privacidade. Em alguns casos, como adolescentes faltosos ou em situação de vulnerabilidade, ocorre também o atendimento familiar.

“O adolescente, quando chega ao CRA, seja por livre demanda ou encaminhamento médico, é recebido, acolhido e encaminhado ao tratamento pertinente. Em todos os atendimentos há o incentivo para que o adolescente perceba-se como sujeito de suas ações. É garantido o direito à privacidade, ao sigilo e ao consentimento informado, conforme indicado pelo Ministério da Saúde. Vale frisar que, como garantimos o sigilo e a privacidade, o adolescente pode ser atendido sem a presença de um adulto”, esclareceu Monique Rangel.

Atendimento é integrado à rede
O Centro de Referência do Adolescente vivencia ações conjuntas e complementares com setores voltados para o público adolescente, como o Núcleo de Saúde Mental, Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Capsi), Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), Unidades Básicas de Saúde (UBS), Estratégia Saúde da Família (ESF), entre outros que compõem a rede municipal.

O CRA fica localizado à Rua das Laranjeiras, s/n – Imbetiba. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, de 7 às 21h. Outras informações podem ser obtidas por meio do telefone (22) 2796-1059.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 13 =