Um bate papo sobre comunicação

Wellington Serrano –

Foi realizado na noite de ontem (22) na Casa da Amizade, em Charitas, de Zona Sul de Niterói, uma rodada de palestras sobre jornalismo com o tema: “Quem se comunica com quem? Da manipulação à responsabilidade social”, promovida pelo Rotary Clube Niterói Leste. Na ocasião foram homenageados jornalistas da cidade, entre eles o diretor proprietário de A TRIBUNA, Jourdan Amóra, representado por seu filho o diretor financeiro, Gustavo Amóra.

Segundo o presidente do Rotary, Ulisses Moreira, o objetivo do evento é levar prestação de serviços para a sociedade.

“Assim como fizemos com outras categorias profissionais desta vez o nosso ciclo de palestras quer entrar nesta importante área para podermos conhecer mais de perto o trabalho deste importante profissional, assim como já fizemos sobre outros assuntos como, as eleições 2018, o fake news, os aspectos da defensoria pública e os setores da saúde e segurança”, afirmou Ulisses.

O jornalista e escritor Mario Sousa, presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro (SJPERJ), ressaltou a importância do Rotary em prestar serviços à comunidade niteroiense de graça em temas de interesse social. Em sua palestra, ele falou sobre o tema: Democracia da Mídia.

“Defendo essa tese nos congressos que participo e mostro o oligopólio que acontece dos grupos de mídia que mandam na comunicação do país. Quero enfatizar que não é possível que nos dias de hoje os grandes do setor continuem sendo sustentados e beneficiados pelo poder público quando eles detêm mais de 50% das verbas de publicidade, como a Globo, por exemplo, enquanto os rádios, jornais e televisões comunitárias do interior ficam de pires na mão”, declarou Mário Souza.

Além de Souza, palestraram no encontro o jornalista Continentino Porto que falou sobre “O retrocesso histórico com o fim do Diploma universitário”, Pinheiro Júnior que tratou sobre o tema: “Jornalismo e Literatura”, Sergio Caldieri que abordou o tema: “Fake News e a manipulação da Imprensa” e Evaldo Nascimento que pontou o tema: “Jornalismo como formador de opinião e responsabilidade social”.

Homenagem – O repórter cinematográfico, Maurício Alcântara, de 85 anos, que foi o pioneiro da profissão nas décadas de 70 e 80 falou da emoção em ser homenageado.

“Sinto-me honrado em ter o meu serviço prestado em todo estado reconhecido. Sou representante dos repórteres cinematográficos de pé e não abro mãos de valorizar a minhão profissão”, concluiu.

Foram homenageados ainda os jornalistas Gentil Lima, Estela Prestes e Claudia Barcellos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *