Uber reconhece falhas e diz que está melhorando em Niterói

Luiz Antonio Mello

Niterói vive uma situação, no mínimo, bizarra. Alegando prejuízos as empresas de ônibus reduzem a quantidade de veículos em circulação, que desaparecem depois de 11 da noite.

Os táxis, também dizendo que falta de passageiros, somem as 10 da noite da maioria absoluta dos pontos na cidade.

Em tese, a salvação seriam as empresas de transporte por aplicativos, Uber e 99. Só que, conseguir um carro virou uma olimpíada.

Em suma, resta ao niteroiense entubar a falta de respeito e andar a pé ou de bicicleta, já que os transportes públicos viraram uma lenda urbana de mau gosto.

Com isso, quem tem carro e tinha deixado na garagem por causa do delinquente preço dos combustíveis, para não perder seus empregos e outros compromissos foi obrigado a queimar dinheiro, etanol, gasolina e sair dirigindo por aí, entulhando ainda mais as ruas e avenidas já engarrafadas.

Os carros da empresa 99 praticamente desapareceram. Quem insiste em tentar chamar um, espera, espera, espera e na maioria dos casos desiste. Isso quando o carro não aparece e desiste do passageiro.

Uber outro exemplo gritante de desconsideração. Começou o serviço com carros em excelente estado, limpos, motoristas educados que serviam balinha, água para os passageiros. O cidadão se sentia respeitado pela primeira vez por um serviço de transporte público, após séculos de grosseria, esculacho, má educação a bordo de ônibus e muitos táxis (não todos, é lógico) principalmente os famigerados amarelinhos do Rio.

Infelizmente, como sacramentou Paulinho da Viola, Uber bom foi um rio que passou em nossas vidas e sumiu. Hoje, o cidadão chama e começa o flagelo. Em sequência, os carros aceitam a corrida e cancelam, aceitam e cancelam, aceitam e cancelam.

Os carros que já foram carruagens limpas, asseadas, higiênicas, em muitos casos são pedaços de lata sujos, bancos rasgados, suspenção batendo, má conservação, imundície e calor. Uber não ligar ar condicionado para economizar combustível, mas diz que é por causa da pandemia. Ao consumidor, vida de gado, só resta pagar.

A TRIBUNA fez contato com 99 e Uber. A primeira o jornal perguntou se é verdade que desistiu de operar em Niterói. Dois dias se passaram e 99 não respondeu. Será o estilo quem cala consente?

Já a Uber nos respondeu detalhadamente. Um resumo da resposta:

Se nos meses iniciais da pandemia a demanda caiu abruptamente devido às orientações de isolamento social, depois as pessoas que antes não usavam a Uber no dia a dia passaram a optar pelo app.

Diversas pesquisas, como do Datafolha, mostram essa mudança de comportamento dos brasileiros por considerarem os apps de mobilidade mais seguros para se locomover e evitar aglomerações.

Esse cenário de demanda crescente por viagens vem se acentuando ainda mais com o avanço da vacinação e a reabertura das atividades comerciais.

Nesse sentido, os usuários estão tendo que esperar mais tempo por uma viagem porque, especialmente nos horários de pico, há momentos em que há mais solicitações do que motoristas parceiros disponíveis para atendê-las.

Com esse desequilíbrio temporário do mercado, também podem ocorrer com mais frequência tanto cancelamentos pelo usuário (que não deseja esperar mais tempo pela viagem) quanto recusa de viagens pelo motorista (que, pelo cenário de demanda em alta, pode presumir que haverá novos chamados de maior ganho na sequência, por exemplo).

A Uber vem implementando uma série de iniciativas que buscam promover o reequilíbrio do mercado no curto e no longo prazo. Nos momentos de desequilíbrio localizado, o mecanismo de preço dinâmico entra em vigor automaticamente.

A ferramenta é eficiente porque, por um lado, faz alguns usuários adiarem a viagem à espera de um preço menor e, por outro, aumenta os ganhos dos motoristas para incentivar que mais parceiros se desloquem para atender aquela região. O preço dinâmico é temporário e atualizado constantemente, por isso a dica para os usuários é esperar algum tempo antes de verificar o preço novamente no app.

Já frente ao cenário de aumento da demanda mais rápido do que o aumento de parceiros, a Uber tem reforçado campanhas de indicação, nas quais motoristas que já dirigem com a plataforma ganham uma recompensa quando novos parceiros indicados realizam certo número de viagens.

Os critérios das promoções variam de cidade para cidade, mas cada indicação concluída pode resultar em recompensa acima de R$ 1.000. Outra iniciativa é o programa Uber Mentores, em que motoristas que usam a plataforma há mais tempo compartilham suas dicas com quem está começando.

Combustível

A Uber lançou um pacote de medidas para ajudar a mitigar os custos dos motoristas parceiros com a mais recente alta dos combustíveis. Estão sendo investidos cerca de R$ 100 milhões em iniciativas como promoções de ganhos adicionais e parcerias que ajudam a reduzir os custos dos parceiros, além de um reajuste temporário no preço das viagens. 

O pacote faz parte de uma iniciativa global da empresa diante da instabilidade no cenário internacional causada pelo conflito no leste europeu, que tem pressionado custos de insumos em todo o mundo, particularmente os combustíveis.

O preço das viagens intermediadas pela plataforma foi reajustado temporariamente em 6,5%, com o objetivo de ajudar os motoristas parceiros a lidar com o pico de alta em seus custos operacionais.

Também estão sendo realizadas ações especiais de desconto de 20% no abastecimento de gasolina pelos motoristas parceiros, por meio de uma parceria de cashback entre a Uber Conta, rede Ipiranga e app abastece-aí.

É importante frisar que a Uber foi a primeira e atualmente é a única plataforma que oferece a seus parceiros, em todo o país, a possibilidade de ter desconto no combustível. Hoje, pagando com o Cartão Uber no app abastece-aí, o motorista parceiro já tem 4% de cashback em todos os abastecimentos.

Cancelamentos

Motoristas parceiros são profissionais autônomos e, assim como os usuários, podem cancelar viagens quando julgarem necessário. Cancelamentos excessivos ou para fins de fraude, porém, representam abuso do recurso e configuram mau uso da plataforma, pois atrapalham o seu funcionamento e prejudicam intencionalmente a experiência dos demais usuários e motoristas.

A Uber tem equipes e tecnologias próprias que revisam constantemente os cancelamentos para identificar suspeitas de violação ao Código da Comunidade e, caso sejam comprovadas, banir as contas envolvidas.

O abuso no cancelamento de viagens não tem nada a ver com a liberdade do motorista parceiro de recusar solicitações. Na Uber, o motorista é totalmente livre para decidir quais solicitações de viagem aceitar e quais recusar.

A conexão entre parceiro e usuário – quando nome, modelo e placa do carro são compartilhados e o usuário recebe a confirmação de que o motorista está a caminho – só ocorre depois do motorista ter conferido as informações da solicitação (valor dos ganhos, tempo, distância, destino etc.) e decidido aceitar a realização da viagem.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.