Turismo ainda engatinha no ‘novo Normal’

Raquel Morais

O setor do turismo continua sendo um dos mais impactados pela disseminação do coronavírus. Os impactos da falta desse serviço ainda é drástico para muitos profissionais que viviam desse segmento, que reúne aglomeração e ambiente fechado. Os dois deve ser evitados no período de crise sanitária da pandemia, mas aos poucos alguns profissionais do setor já começam a dar pequenos passos. Cada um com sua estratégia, mas o importante é garantir a segurança necessária para a retomada das atividades.

O guia de turismo Alex Figueiredo explicou que começou, aos poucos, a voltar para as atividades de turismo, que por enquanto incluem apenas passeios de um dia. Mas ele desenvolveu algumas normas para poder garantir a sua saúde e a dos turistas: grupo de no máximo 10 pessoas e sem pacotes que incluem transporte coletivo.

“Eu voltei a fazer os passeios e o ponto de encontro é no destino. Não sou a favor de colocar as pessoas dentro de um ônibus ou uma van para fazer o passeio. Então o encontro está sendo no local. Também limitei a no máximo 10 pessoas para evitar aglomeração”, explicou. Justamente sobre os perigos de contaminação com as viagens que incluem diárias, a agente de turismo Andreia Almeida, 47 anos, opinou.

“Não voltei com o turismo. Estou tentando para 2021 e estou com medo disso por trabalhar com idosos. Eu já fiz algumas viagens para ver os protocolos dos hotéis. Sei que posso me aborrecer. Tem que andar de máscara o tempo todo nesse tipo de viagem a pessoa quer tirar foto e tirar a máscara. A viagem não é em família, e na verdade é uma viagem em grupo de terceira idade. Como colocar as pessoas dentro do mesmo quarto? A ideia da socialização do idoso não tem como fazer com as regras sanitárias”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 1 =