Tudo pronto para a transição em São Gonçalo

Wellington Serrano

Só depois de muita cobrança o prefeito Neilton Mulim publicou nos Atos Oficiais do último dia 25 as equipes que farão parte da transição de governo. Os trabalhos ficarão sob o comando do atual secretário municipal de Governo, Comunicação, Posturas e Pesca, Claudio Sérgio Cardoso Campos.

Os outros 11 indicados pelo atual gestor são o secretário de Administração, José Antônio Fonseca; de Educação, Vaneli Laurindo Chaves e a subsecretária de Educação, Viviane Baptista Carvalho Silva; de Saúde, Dimas de Paiva Gadelha Junior; a subsecretária de Saúde, Irlani Sodré; o subsecretário de Infraestrutura, Urbanismo e Conservação de Parques e Jardins, Davi Luz Fonseca; e a procuradora da pasta, Rafaelly da Silva; a secretária de Municipal de Desenvolvimento Social, Habitação, Infância e Adolescência, Evangelina Maria Andrade; a secretária de Políticas sobre Álcool e Drogas, Ana Cristina da Silva; a Procuradora Geral, Lilian dos Santos Rosa e o procurador do Gabinete, Marcos Vinícius Gonçalves.

Já o prefeito eleito José Luiz Nanci indicou 11 nomes para a comissão, são eles: Augusto Senna, Marlos Costa, Diego São Paio, Carlos Ney Pinho Ribeiro, Alexandre Reis, Rogério Jorge Ribeiro Rodrigues, Rodrigo Souza Miranda, Guilherme Sole Alves Correa, Elias Gabriel, Paulo César Siqueira e Luanda Pereira dos Anjos Rodrigues.

Recentemente, os vereadores Diego São Paio e Marlos Costa, que estão na equipe de transição e foram candidatos a prefeito, apoiando Nanci no segundo turno, reclamaram da demora do atual prefeito em publicar a composição da equipe de transição.

Os vereadores são os únicos nomes confirmados pelo prefeito eleito na composição do futuro governo. Diego São Paio assumirá a Educação e Marlos o Desenvolvimento Social.

A publicação estabelece que “toda e qualquer solicitação, antes do seu atendimento, o que for necessário para garantia de transparência na transição e boa fluidez nos primeiros 100 dias do governo subsequente, deve ser submetida à Chefia de Gabinete, a quem compete dar prosseguimento”.

O artigo 5° esclarece que “as reuniões de servidores com integrantes da Equipe de Transição, assim como visitas aos aparelhos públicos devem ser objeto de agendamento e registro sumário em atas que indiquem os participantes, os assuntos tratados, as informações solicitadas e o cronograma de atendimento das demandas apresentadas.

O decreto entrou em vigor hoje e as equipes terão 36 dias de trabalho até a posse do prefeito eleito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 1 =