Tudo o que você faz um dia volta pra você

Tenho um amigo muito querido, Alvaro Acioli, um sábio médico, catedrático, jornalista, pensador. Ele tem uma frase que uso sempre: “Agora, enquanto ainda”. Ele tem razão.

É preciso viver com urgência, penso, é preciso voar logo e alto, sinto, é preciso deixar que o amor incondicional inunde nossas artérias e becos como um Amazonas banhando as nossas Venezas.

As nossas ampulhetas interiores não vão parar de funcionar porque agentes das mais profundas trevas acham que o ódio é o poder supremo que rege o ele transforma emsubmundo, subvida, como as deles e das suas hediondas ninhadas.

Renato Russo escreveu e cantou “Boomerang Blues”:

“Tudo o que você faz/Um dia volta pra você/E se você fizer o mal/Com o mal mais tarde você vai ter de viver/Os aborígenes na Austrália/Com o boomerang vão caçar/O boomerang vai e volta/E só fica quando consegue acertar/E eu sou como um boomerang/Quando eu acerto é pra matar/Melhor do que a sua ferida aberta/E o sangue ruim do seu coração/Eu só não entendo como fui cair/Dentro da sua teia e não tentei fugir/Me sinto mal lembrando o que aconteceu/Você tentou roubar/Mas o boomerang agora é meu.”

A foto que ilustra este artigo esteve na parede da sala de muitos italianos após a II Guerra Mundial lembrando o que acontece com quem ignora o “Boomerang blues”, manda matar, ri da desgraça, planta o ódio, o veneno, a corrupção moral, bosteja que o diabo está acima de todos.

A foto mostra o pai do fascismo, Benito Mussolini, genocida histórico, ex primeiro ministro da Itália, militar medíocre que se auto promoveu a marechal, amigo de Hitler e que de tanto pregar o ódio foi caçado e morto como um rato pelo povo. Mussolini debochou quando disseram “tudo o que você faz/Um dia volta pra você”.

Segundo a BBC History “os corpos de Mussolini, da amante Claretta Petaccie dos seguidores foram amontoados em uma pilha e às nove horas da manhã do dia 29 de abril de 1945 uma multidão considerável já se reunia. Atiraram vegetais, cuspiram, urinaram, defecaram em cima, chutaram e balearam os corpos.

A face de Mussolini ficou desfigurada pelos golpes. Depois de um tempo, os corpos foram pendurados de cabeça para baixo em uma viga da estrutura metálica de uma construção inacabada de um posto de combustível da Esso.Este ritual era usado no norte da Itália desde os tempos medievais para ressaltar a “infâmia” do condenado.”

Agora enquanto ainda, é preciso estar atento e forte na certeza de que Deus sabeextirpar esses tumores, como eliminou Mussolini e Hitler, tragicamente exatamente como eles gostavam de pregar.

Precisamos orar pelo país e por nós. A oração verdadeira, da fé verdadeira, das verdadeiras lágrimas que escorrem quando testemunhamos tanta dor. Orações para o Deus verdadeiro – Senhor, Nosso Pastor, nada nos faltará – e não essa entidade sombria, odiosa que os déspotas chamam de Deus que na verdade só visam dinheiro (venha de onde vier) e poder.

O Boomerang Blues está soando entre os traídos, ofendidos, humilhados, os quase 270 mil enlutados, vítimas de uma pandemia que é celebrada pelos agentes do anticristo que, deboche maior, exibem mansões de milhões com as piscinas cheia de ratos.

Deus esteja conosco. Sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 11 =