Tribunal Regional Federal decide pela prisão de Picciani e outros deputados

Anderson Carvalho

Por unanimidade, os cinco desembargadores do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) decidiram na tarde desta quinta-feira (16) que o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado Jorge Picciani e os também deputados estaduais Paulo Melo e Edson Albertassi (todos do PMDB) devem ser presos. O relator do caso que votou pela prisão foi o desembargador Abel Gomes, sendo acompanhado por Paulo Espírito Santo, Messod Azulay Neto e Marcelo Granado, todos da 1ª Seção Especializada do TRF2. Uma desembargadora se ausentou.

A decisão, em forma de liminar, foi a pedido do Ministério Público Federal. Baseado nas investigações e depoimentos e na Operação “Cadeia Velha”, executada pela Polícia Federal na última terça-feira, que revelaram o uso de cargos políticos para a prática de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. A operação é um desdobramento da Operação Lava Jato, da PF, que investiga pagamentos de propinas a agentes públicos pela Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor).

Os deputados são acusados de articular aprovação de projetos de lei favoráveis aos empresários de ônibus que pagavam vantagens indevidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + quatro =