Três pessoas são presas em operação contra pornografia infantil

A polícia segue atenta à movimentação de acusados de armazenar e compartilhar material contendo pornografia infantil, em Niterói. Agentes da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) da cidade deflagraram, na manhã desta quinta-feira (8), a sexta fase da Operação Revelação, a fim de dar sequência às investigações contra acusados da prática criminosa.

Segundo informações da especializada, policiais estiveram nas ruas para cumprir nove mandados de busca e apreensão, em cinco cidades diferentes. Além de Niterói, policiais atuaram em São Gonçalo, Tanguá, Cachoeiras de Macacu e Rio de Janeiro. O objetivo principal era identificar usuários suspeitos de armazenar e compartilhar material digital contendo pornografia infanto-juvenil.

As investigações apontam que os suspeitos são responsáveis por efetuar o download e upload de centenas de materiais digitais, tais como fotos e vídeos com imagens de crianças com meses de idade até adolescentes praticando ativamente ou passivamente cenas de sexo explícito ou de cunho pornográfico. As buscas tiveram como objetivo apreender equipamentos que possam conter materiais do tipo.

A delegada Carina Bastos, titular da DPCA de Niterói, explicou, em entrevista exclusiva á reportagem de A Tribuna, detalhes da operação. Ela confirmou a prisão de três pessoas em flagrante, duas em São Gonçalo e uma em Niterói, entre nove conduzidos à delegacia. Além disso, foram bem sucedidas apreensões de objetos eletrônicos, em que os materiais supostamente seriam armazenados.

Delegada Carina Bastos concedeu entrevista exclusiva para A Tribuna – Imagens: Vítor d’Avila

“Esta é a sexta fase da Operação Revelação, que visa coibir o crime de pedofilia. Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão, dentre eles já temos três prisões em flagrante e os demais aparelhos foram periciados pelos profissionais do ICCE e PRPTC, que estiveram aqui presentes. Vai continuar a investigação”, disse.

Carina Bastos completa afirmando que a investigação dessa atual fase da operação durou aproximadamente três meses. Além disso, ela confirma que, em breve, deve acontecer uma nova fase da Operação Revelação. Desde 2018 a DPCA de Niterói vem deflagrando diversas fazer da ação de combate a abuso sexual infantil.

“A investigação durou cerca de três meses, para a gente deflagrar a expedição dos mandados. A gente vai continuar investigando esse tipo de crime porque a gente repudia muito, esse crime tão bárbaro. Possivelmente, a sétima fase da operação vai começar, assim que possível”, completou.

Durante o trabalho de investigação, a especializada representou à Justiça pela busca desses equipamentos, a fim de identificar os criminosos responsáveis. Com isso, foram expedidos pela 2ª Vara Criminal de Niterói os mandados de busca e apreensão para os endereços identificados pelo setor de busca eletrônica da Unidade Especializada.

A ação foi realizada simultaneamente em todos os nove endereços, com o apoio de 60 policiais do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE) e com Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE)  e ainda seus Postos Regionais de Niterói e São Gonçalo para necessidade de emissão de laudo pericial, a fim subsidiar os flagrantes.

Operação Revelação

A Operação Revelação, coordenada pela DPCA, já teve diferentes fases ao longo dos últimos anos. A última delas, foi deflagrada no dia 22 de março de 2021. Duas pessoas foram presas em flagrante, no bairro de Icaraí, e uma terceira em Itaboraí. Mandados foram cumpridos nas cidades de Niterói, Itaboraí e Maricá.

Desde 2018, a especializada tem deflagrado diversas fases da Operação Revelação, contra crimes do tipo na cidade. Em 22 de novembro de 2018, três pessoas foram presas por envolvimento em crimes de pedofilia. Na ocasião, Os agentes atuaram nos bairros de Icaraí, na Zona Sul, e Barreto, Sapê e Cubango, na Zona Norte.

Já no dia 30 de maio do ano passado, os agentes foram às ruas para cumprir seus mandados em endereços da Zona Sul de Niterói. Três pessoas foram detidas, entre elas um capitão reformado do Exército. Na ocasião, ainda foram apreendidos materiais contendo pornografia infantil. Na época, o nome dos acusados não havia sido divulgado. Já no dia 7 de dezembro de 2020 e um iodo de 74 anos foi preso em flagrante por armazenar pornografia envolvendo crianças e adolescentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + 14 =