TRE vai analisar a troca de vice de Rodrigo Neves

Após ter recebido na noite da última segunda-feira o pedido de registro da troca de vice na chapa do prefeito de Niterói e candidato à reeleição, Rodrigo Neves (PV), o Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE) vai analisar a questão para indeferir ou não a solicitação, feita pela coligação “Pra Seguir em Frente”, encabeçada pelo PV. A informação é do próprio órgão. O PPS, do novo vice, o deputado estadual Comte Bittencourt, já fazia parte da coligação. O certo é que o nome da coligação pode continuar.

“Não haveria porque mudar, já que os partidos são os mesmos. Obtivemos o protocolo de pedido de registro e com isso será possível Comte já participar da campanha como vice na chapa, inclusive no programa eleitoral”, informou o advogado da coligação, Luciano Alvarenga. O TRE informou que o parlamentar do PPS já pode participar como vice. Citou como exemplo os candidatos que começaram a campanha em 16 de agosto, mesmo sem terem ainda os pedidos de registro analisados pelo órgão.

A coligação informou que o material já impresso com o nome de Axel e que já foi distribuído não será recolhido e apenas serão impressos novos materiais com o nome do novo vice. “A chapa não gastou com material para uma campanha inteira, mas, apenas, para alguns dias. Ou seja, um lote. Apenas será impresso mais uma quantidade de folhetos e feitas placas com o nome do novo vice. De qualquer forma, isso seria feito com o antigo vice. Então, não será um gasto extra, pois, já estava previsto. Não dá para recolher o que foi distribuído”, explicou Alvarenga.

A coligação informou que não será extrapolado o limite de gastos de campanha com a troca de vice. Com limite de gastos para candidato a prefeito em Niterói estipulado em R$ 5,411 milhões pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a campanha de Neves arrecadou até o momento R$ 872.500,00 e contratou R$ 852.943,42, tendo pago R$ 802.943,42. Sendo R$ 798 mil em produção de programa de rádio, televisão e vídeo; R$ 25.560,64 em locação de bens imóveis; R$ 15 mil em aluguel de veículos; R$ 14.206,38 como “diversas a especificar” e R$ 176,40 como encargos financeiros, taxas bancárias e de cartão de crédito. Os dados são do TRE.

O TRE informou que a questão do material de campanha ainda será analisada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 8 =