Tragédia automobilística na Região Oceânica mata 3 jovens

O que era para ter sido mais uma noite alegre, de diversão, confraternização e risadas, terminou em tragédia para 5 jovens. Um gravíssimo e violento acidente de carro, no final da noite de quinta-feira (9), por volta das 23h30min, na Estrada Francisco da Cruz Nunes, no trecho da descida da serra que dá acesso à Região Oceânica no Cafubá, em Piratininga, resultou na morte instantânea três deles: Roberta da Costa Miranda Ribeiro, de 17 anos; Emmily de Souza Miranda, de 20 anos; e Gabriel Palmieri da Costa Gonçalves, de 19 anos.

Eles estavam no automóvel, modelo Chevrolet Onix, que acabou destruído após capotagens multiplas. A violência do impacto foi tamanha que as vítimas tiveram seus corpos arremessados para fora do veículo, que estava sendo conduzido por Leonardo Moraes da Silva Pagani, de 19 anos, que sobreviveu ao acidente. Um outro jovem também sobreviveu: Raphael Dudjak Eres Guerreiro, de 18 anos.

Eles foram socorridos ao Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no bairro do Fonseca. Rafael teve apenas ferimentos leves e já recebeu alta. Já Leonardo ainda está em observação e, embora tenha ferimentos mais graves, seu estado de saúde é estável.

O Corpo de Bombeiros informou que o chamado de socorro aconteceu às 23h30min e os militares do 4º Grupamento de Bombeiro Militar de Itaipu (4º GBM) foram ao local. Policiais militares foram acionados e a ocorrência foi registrada na 81ª DP (Itaipu). A distrital iniciou as investigações para tentar apurar as causas do acidente.

De acordo com os primeiros dados levantados pela distrital, o motorista, Leonardo, estava com “hálito etílico e agitação psicomotora”. A informação foi passada à delegacia pelo médico que o atendeu e confirmada pelo delegado Fábio Barucke, titular da 81ª DP. No entanto, o registro de ocorrência ressalta que havia ausência de indícios mínimos que apontassem eventual embriaguez ao volante como causa do acidente. Ainda de acordo com o delegado, o fato será apurado, bem como se o automóvel estava em alta velocidade.

Renato Antunes, cunhado do Leonardo Pagani, de 18 anos explicou que os amigos tinham saído juntos, para jantar em um restaurante de comida japonesa, e, após o encontro, o rapaz estaria indo levar seus amigos em casa. No entanto, o jovem teria usado o carro de sua mãe enquanto esta dormia. “O Leonardo foi levar eles para casa e aconteceu o acidente. O carro é da mãe dele, a mãe estava dormindo, e ele saiu de casa para levar os amigos”, frisou.

O cunhado explicou que conversou com o Rafael Guerreiro, de 18 anos, após o sobrevivente ter recebido alta do Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, na Zona Norte de Niterói. “O outro menino que não teve tanta lesão, bateu a cabeça e não lembra direito. Perdeu a memória. Eles tinham ido a um restaurante japonês e depois foram pra casa do Léo”, detalhou.

Consternação pelas perdas

Familiares das vítimas que não resistiram ao acidente estiveram, na manhã desta sexta-feira (9), no Instituto Médico Legal (IML) de Niterói, que fica no bairro do Barreto, para os trâmites de liberação dos corpos. Muito abalados, a maioria preferiu não conversar com a reportagem. Outros tentavam juntar as forças para resumir a personalidade desses jovens, em poucas palavras.

“A Roberta era uma menina maravilhosa. Foi uma fatalidade. Os pais estão muito arrasados. Só a polícia vai esclarecer”, disse Paulo Cesar Soares, de 52 anos, padrinho da Roberta.

“Nada vai trazer ele de volta. Mesmo que descubram o culpado”, resumiu Renata Costa, mãe de Gabriel. Até o fechamento desta edição, apenas o sepultamento de Roberta havia sido marcado. Será neste sábado (10), às 13h, no Cemitério Parque da Colina, em Niterói. O corpo de Gabriel deverá ser enterrado em um cemitério de Maricá e o de Emmily deverá acontecer no Parque da Paz, em São Gonçalo.

LAMENTO NAS REDES SOCIAIS

Nas redes sociais, amigos das vítimas lamentaram as mortes e enviaram muitas mensagens de apoio para as famílias. Na página do Gabriel Palmieri uma amiga escreveu “Tá doendo tanto, pelo amor de Deus alguém me acorda desse pesadelo”.

Nas redes da Roberta Miranda muitas mensagens estão sendo postadas. Um amigo disse: “Meus sentimentos a todos da família e amigos! Nunca estamos preparados para perder um ente querido… ainda mais se tratando de uma pessoa tão jovem e cheia de vida! Só Deus para confortar os corações, a família e os amigos. Meus sinceros sentimentos”.

E na página da rede social da Emmily os amigos também se mostravam inconsoláveis. “Descansa em paz! Gratidão por ter tido o privilégio de te conhecer e sentir um pouco da sua energia maravilhosa. Brilha muito aí em cima”, dizia o comentário de uma amiga.

DIRETOR DE ESCOLA SE MANIFESTOU

Bruno Gardero, que é diretor-geral do Colégio Intellectus, onde Roberta estudava, lamentou a morte da jovem. “A família dela sempre foi muito próxima, pais muito próximos. Aluna alegre e querida pelos professores tinha um grupo de amigos próximos que sempre estiveram ao lado dela e ela ao lado de todos os projetos da escola. Foi um dia muito triste para toda a comunidade escolar. Ficamos consternados com o acontecido”, disse.

O diretor também relembrou que Leonardo Pagani, um dos sobreviventes, que também estudou na instituição. Gardero se solidarizou com a família e desejou pronta recuperação ao jovem. “O Léo está fazendo segurança pública na UFF. Está sendo um dia muito complicado. Ele veio praticamente desde o fundamental para o ensino médio, é uma família muito próxima também”, completou.

Vítor d’Avila e Raquel Morais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − três =