Tráfico, arrastões e agora roubo de cargas afligem a Zona Norte

Augusto Aguiar

Já faz algum tempo que a Zona Norte de Niterói vem acumulando os maiores índices de algumas modalidade de crime. Apesar da intensificação do policiamento na região, sobretudo no perímetro conhecido e apelidado como o “Fonsequistão”, crimes como tráfico de drogas, roubos a transeuntes, e agora, mais recentemente roubo de cargas, vem afligindo moradores, comerciantes, e motoristas que trafegam pelas ruas da Zona Norte. De acordo com invstigações, o foco mais recente dos roubos seriam criminosos oriundos do tráfico em comunidades como Caramujo, Palmeira, Pimba entre outras, que estariam indo para as ruas fazerem vítimas.

De acordo com fontes policiais, o trabalho de repressão e a consequente queda do movimento de venda de drogas na área, vem fazendo com que criminosos estejam praticando outras modalidades de crimes, como ido para as ruas e promovendo roubos, por exemplo. “Até bem pouco tempo só ouvíamos falar de ocorrências de roubos de carga em noticiários do Rio, mas agora estão sendo registradas ocorrência desse tipo de modalidade de crime aqui em Niterói e sobretudo em São Gonçalo. As vezes num mesmo arrastão de bandidos, transeuntes, motoristas de carro de passeio, e motoristas de caminhão de entregas são roubados simultaneamente”, explicou um inspetor policial.

De acordo com os últimos dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), referentes ao mês de novembro, as delegacias de Niterói registraram 5 ocorrências de roubos ds mais variados tipos de carga, um deles na Zona Norte.

Ações integradas estão sendo realizadas para conter o crime

O mês de dezembro em pelo menos duas ocorrências na região da Florália e Caramujo duas ocorrências de roubos a caminhões ou furgões de entregas e transeuntes. Na manhã de quinta-feira, segundo testemunhas, dois crminosos armados numa motocicleta aterrorizaram populares e comerciantes no perímetro entre as Ruas Riodades e São Januário, inclusive rendendo várias vítimas nas imediações da principal via que atravessa a Zona Norte, a Alameda São Boaventura. Mesmo com o empenho das polícias Civil e Militar, que passaram a atuar integradamente no mês de dezembro, os bandidos ainda demonstram ousadia. No mês de novembro, foram registrados 3 autos de resistência (Homicídio decorrente de oposição à intervenção policial). Os três na Zona Norte de Niterói. Junto coma região de Pendotiba, a Zona Norte apresentou 3 registros de homicídios dolosos (com intenção de matar).

No mesmo período foram registrados 89 ocorrências de roubos a transeuntes na região, que foi superada apenas pelo Centro da cidade (108). Roubos de veículos foram registradas 66 ocorrências, o maior número de queixas da cidade, assim como em relação ao roubo de estabelecimentos comerciais (15). Nos roubos de aparelhos celulares, mais uma vez a região do Centro apresentou o maior número de registros (49). Na Zona Norte foram 19 registros. “Não parece, mas a região do Fonseca já foi calma um dia (não me lembro mais). Atualmente tá ruim de aguentar. É todo tipo de violência todo dia. Quase todo dia ouço falar de algum fato envolvento violência no bairro”, afirmou um comerciante que aceitou dar seu depoimento, sem no entento se identificar temendo represálias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + 5 =