Torcida comemora e Neymar chora no final

Raquel Morais –

O torcedor sofreu ontem (22) com o a segunda partida do Brasil na Copa do Mundo, contra a Costa Rica. O primeiro tempo não agradou e deixou todos apreensivos com o placar sem gols após poucas tentativas do time do Tite. O segundo tempo não foi diferente. Até quase os 46 minutos, foram muitas bolas arriscadas, impedimentos, cartões amarelos, muitas quedas e até um pênalti anulado pelo árbitro de vídeo (VAR), até Philippe Coutinho marcar o primeiro gol, aos 45 minutos e 26 segundos. O camisa 10 da Seleção, Neymar, no último lance antes do juiz encerrar o jogo, também marcou, deixando os torcedores eufóricos no Jardim Icaraí, um dos locais escolhidos pelos niteroienses para assistir a partida.

_MAF3388

A torcida lotou a Rua Leandro Mota e parte da Nóbrega, no Jardim Icaraí. Os bares e restaurantes disponibilizaram muitas televisões para os torcedores poderem curtir todos os detalhes da partida. Também foram realizadas atividades para as crianças, que puderam ainda brincar na cama elásticas e nos muitos carrinhos, por exemplo.

“Escolhi torcer para o Brasil em Niterói e aproveitei para realizar reuniões da agenda. Independente de problemas que estão acontecendo no país, temos que torcer pelo Brasil. O povo brasileiro é trabalhador e merece soluções para esses problemas, mas torcer pelo país deve ser sempre”, comentou o deputado federal Sóstenes Cavalcante.

Pedro Castilho, presidente da Fundação Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro (Ceperj), também estava na torcida.

“Fico muito feliz de participar desse momento. Sou de Niterói e temos que prestigiar nossa Seleção e nosso país”, sintetizou.

Na próxima quarta-feira, 27, às 15h, será vez do Brasil enfrentar a Sérvia. E tem torcedor que já está planejando os próximos jogos.

“Acompanho todos os jogos da Copa e não seria diferente pelo Brasil. É o evento mais importante do esporte mundial e faço questão de fazer parte dessa torcida”, explicou o jornalista Daniel Perpétuo, 36 anos.

A professora Esther Sá, 36 anos, lembrou da Copa de 2014.

“Quero esquecer os jogos passados e a derrota para Alemanha. dessa vez temos que mandar energia positiva”, afirmou.

Após o sufoco durante os 90 minutos, no final a torcida pode soltar o grito. Já o craque Neymar, bastante questionado na Copa, ajoelhou-se no centro do gramado e caiu no choro, parecendo aliviado. Que as próximas lágrimas sejam apenas de alegria.

Neymar chorando

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *