TJ marca julgamento de Rodrigo Neves para 12 de março

Anderson Carvalho –

O 3º Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) marcou para o dia 12 de março, a partir do meio-dia, o julgamento da denúncia contra o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, preso desde 10 de dezembro passado pela Operação Alameda, do Ministério Público do Estado, que investiga cobrança de propina de R$ 10,9 milhões, oriundas de gratuidades de empresas de ônibus municipais. O julgamento tinha sido marcado antes para o último dia 20, mas, foi adiado após pedido de vista do desembargador José Muños Piñero Filho, da 6ª Câmara Criminal, para estudar melhor o caso.

Na ocasião, o TJ vai decidir se aceita ou não a denúncia contra Neves; o ex-secretário de Obras de Niterói Domício Mascarenhas; João Carlos Félix Teixeira, presidente do consórcio Transoceânico; João dos Anjos Silva Soares, presidente do consórcio Transnit e o ex-presidente do Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro, Marcelo Traça. Todos eles estão presos. O relator do caso é o desembargador Luiz Noronha Dantas.

Procurado, o advogado Técio Lins e Silva, responsável pela defesa de Neves, afirmou, por meio de assessoria, que não comenta o caso. Para o advogado Luciano Alvarenga, que assiste a família do prefeito, as chances dele sair da prisão são boas. “Se o Tribunal aceitar a denúncia, vai julgar o agravo de instrumento, impetrado pela defesa de Rodrigo, que pede a liberdade dele. Se rejeitar a denúncia, o caso é arquivado e todos são liberados imediatamente. Depois de 78 dias preso, o prefeito sequer foi ouvido pelo MP”, explicou Alvarenga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *