Tiroteios voltam a assustar no Centro e na Zona Norte

Após algum tempo sem que os moradores do Complexo do Estado, no Centro de Niterói, se queixassem de confronto entre criminosos rivais, no último domingo (16) a paz na comunidade terminou, com bandidos de facções rivais voltando a se enfrentar. O tiroteio assustou até mesmo quem passava em ruas próximas, com a PM sendo acionada para intervir. Mais uma vez, de um lado estavam traficantes da facção Terceiro Comando Puro (TCP) e de outro, rivais do Comando Vermelho (CV), que estariam se alternando no controle da venda de drogas. Uma moradora, que não teve a identificação divulgada, foi atingida por um tiro e está internada. Uma outra mulher também foi baleada numa ação na comunidade Nova Brasília, na Engenhoca. De acordo com informe da Secretaria de Estado de Saúde (SES), a vítima estava até o fim da manhã desta segunda-feira (17), em estado grave.

De acordo com informes de moradores, que não se identificam temendo por possíveis represálias, nos mais recentes movimentos dessa violenta disputa, o TCP havia tomado os pontos do CV há uma semana. Porém, na madrugada do último domingo bandidos ligados a essa última facção retornaram e se esconderam na comunidade da Chácara. Essa movimentação foi percebida por policiais militares do 12º BPM, de serviço no DPO. O reforço policial foi acionado, inclusive com usdo do caveirão. Houve intensa troca de tiros, com a PM enfrentando os criminosos tanto pela parte mais alta do complexo (Morro do Estado), como por baixo (Morro da Chácara).

Uma mulher, que segundo moradores lavava roupa em sua residência no momento do tiroteio, foi baleada e internada. Um acusado também foi atingido (de raspão) no pescoço, mas teria sido resgatado por um motoqueiro. No confronto, muitas pessoas que passeavam e faziam compras no Plaza Shopping e ruas próximas tiveram que buscar abrigo para não serem atingidas.

Há vários anos que moradores do Complexo do Estado passam sufoco, com criminosos de facções rivais se revezando no controle da venda de drogas. Recentemente, o grupo de investigação da 76ª DP (Centro), junto com 12º BPM, deflagaram ações que resultaram em prisões de lideranças e apreensões de armas e drogas. Existem informes que um antigo líder do tráfico na região, Wallace Araújo Torres, conhecido como Anão (que encontra-se preso), continuaria enviando emissários para retomar os pontos de venda de drogas e enfrentar os rivais, que anteriormente eram ligados à facção que ele pertence (TCP). A disputa pelo controle do Morro do Estado também envolve bandidos oriundos de outras comunidades de Niterói, como do Complexo de Santa Rosa e até de comunidades do Rio.

Na manhã desta segunda (17), policiais militares da Operação Niterói Presente realizavam patrulhamento pela Avenida Ernani do Amaral Peixoto, ne esquina com a Rua Maestro Felício Toledo, no Centro, quando avistaram e abordaram dois suspeitos (menores) numa motocicleta. Durante a revista foi encontrado com um deles, de 17 anos, morador do bairro de São Francisco, uma pistola modelo Bersa, calibre 9mm, com carregador contendo seis munições e numeração raspada. Conduzidos para 76ª DP (Centro), foi constatado que a dupla se deslocava da Morro do Arroz, que faz parte do Complexo do Estado, para apoiar aliados na guerra do tráfico.

Vítima atingida por disparo em baile proibidão
Na Zona Norte de Niterói, o 12º BPM mais uma vez agiu no sentido de reprimir um baile funk proibidão, que estava pronto para começar na noite de sábado, na comunidade Nova Brasília. Segundo informes encaminhados para o Disque Denúncia, em meio ao evento também ocorreria uma “feirinha de drogas”, com os criminosos bloqueando o acesso de ruas próximas com veículos, para dificultar a repressão policial. Mais uma vez, os policiais foram recebidos a tiros e uma vítima, identificada como Larissa Ferreira da Silva, que, segundo testemunhas, trabalhava numa lanchonete, foi baleada e internada no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca. Em nota a Secretaria estadual de Saúde informou que a vítima permanecia internada, em estado grave. Na 78ª DP (Fonseca), a PM informou que o disparo que atingiu a vítima não teria partido da guarnição. Várias caixas de som foram apreendidas na ocorrência. O caveirão foi atacado a tiros quando passava pela Rua Zalmir Garcia, no acesso à localidade. Mesmo com denúncias já divulgadas por A Tribuna no dia 28 de outubro em outra ocorrência envolvendo o baile funk proibido, outras duas pessoas foram baleadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *