Tiroteios em São Gonçalo crescem quase 300% em maio

Maio foi o mês de 2018 em que mais foram registrados tiroteios na Região Metropolitana. É o que mostram os dados do relatório publicado pelo laboratório de dados Fogo Cruzado. Em comparação com 2017 houve um aumento de 87% no número de tiroteios (890 casos em 2018, contra 476 em 2017). São Gonçalo ficou em segundo no ranking na Região Metropolitana de maio, mas registrou um aumento ainda maior, se comparado ao ano passado, de quase 300%.

De acordo com as informações do Fogo Cruzado, a maior quantidade de tiroteiros foi registrado na cidade do Rio de Janeiro (540), seguidos de São Gonçalo (99), Belford Roxo (56), Niterói (48) e Duque de Caxias (28). O Fogo Cruzado informa que os dados são coletados por usuários, polícias e imprensa. Em 2017 foram registrados 25 casos de tiroteios em São Gonçalo, o que representa um aumento de 296% se comparado aos 99 registros de 2018.

Ainda segundo o laboratório de dados, São Gonçalo foi na contramão da Região Metropolitana, que diminuiu o número de mortos na comparação entre maio de 2018 e de 2017. O município gonçalense teve um aumento de 67% no número de mortos (20 em 2018, contra 12 em 2017), enquanto houve redução de 19% no número de mortos em decorrência de armas de fogo na Região Metropolitana. Outro número que cresceu em São Gonçalo foi o de casos de feridos nestes confrontos. Foram apenas quatro em maio 2017, contra 17 no mesmo mês deste ano, um aumento de 325%.

Entre os bairros que lideram os ranking de registros de tiroteio está Praça Seca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, com 48 casos. O primeiro bairro de São Gonçalo a aparecer na lista é o Jardim Catarina, na sétima posição, com 18 tiroteios só em maio. Em março, 1.100 homens das Forças Armadas, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e diversas delegacias da Polícia Civil realizaram uma operação no Jardim Catarina. A ação vasculhou o bairro e removeu barricadas do tráfico em praticamente todas as vias. Desde então, nenhuma ação semelhante foi realizada na localidade pela Secretaria de Segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *