Tiradentes não era dentista, não tinha barba, e não imitou Cristo

Tiradentes não era dentista, não tinha barba, e não imitou Cristo

Não se sabe como Pedro Américo se inspirou, 101 anos depois, para apresentar o célebre quadro com a imagem do alferes (uma espécie de sub-Tenente) José Joaquim da Silva Xavier, com uma vestimenta igual, e com barbas e cabelos longos como Jesus Cristo.

Na época, segundo os historiadores, era hábito cortar todos os pelos dos presos, como prevenção contra os piolhos. O nosso mártir era um cartografo com grandes trabalhos realizados e com planos na área do urbanismo.

Como militar, o mineiro fez incursões na região de Macuco (Cantagalo) à caça do garimpeiro ilegal e negociante de ouro, Mão de Luva. Quando se aprofundou no conhecimento da tirania e ambição dos dominadores do Brasil. Havia escasseado o ouro nas Minas Gerais, e a Coroa se declarava credora de nove toneladas do rico minério.

Muitos dos inconfidentes eram comerciantes e prejudicados pela taxação.

A Escola de Samba Cubango, nos tempos de Ney Ferreira, teve como enredo esta história de Mão de Luva e Tiradentes.

Precisamos apresentar a verdadeira imagem física e cultural do homem que lutou pela Independência, alcançada 30 anos após. E sua identidade com Cristo: lutou pela igualdade, contra as injustiças, a ganância e pelo direito à liberdade com responsabilidade.

Estrelas do surfe

O mar de Narrabeen, na Austrália, está cheio de estrelas brasileiras. A constelação, que colocou Gabriel Medina na liderança, não teve apenas outro brasileiro, Ítalo Ferreira, como vice. O ranking mundial tem mais sete compatriotas entre os 32 melhores colocados.

Liberou, mas…

O comércio foi liberado mas a clientela não está muito feliz.

Além das altas de preços determinadas pelo governo, muitos comerciantes e ambulantes estão tentando recuperar os lucros perdidos com o isolamento, através da majoração nos preços dos produtos.

As vendas não estão no volume esperado…

Presidente morto

Depois de 30 anos de permanência no poder, Idriss Déby Itin, de 69 anos de idade, perdeu a guerra sustentada com rebeldes e foi morto, em combate, segundo as autoridades militares do Chade, quase na fronteira com a Líbia.

O seu filho, Mahamat Kaka, chefe das Forças Armadas assumiu o seu lugar por decisão do Conselho de Militares.

Idriss era aliado ao ocidente, especialmente no combate aos extremistas islâmicos.

Pouca liberdade de imprensa

No ranking mundial de liberdade de imprensa, o Brasil está no 111º. Lugar.

No Brasil de hoje não há censura, mas um poderoso boicote econômico que afetou, principalmete, emissoras como a Rede Globo e os grandes diários do país. Além disto, o governo Jair Bolsonaro enfraqueceu a imprensa do interior com Medidas Provisórias limitando acesso a recursos privados, além daqueles manipulados por estatais e o Poder Públcio.

Na classificação, incluem-se processos contra opiniões de jornalistas, intimidações e a onda de violência que tirou vidas de muitos profissionais, especialmente no interior.

Os “fake-news” também entram na conta.

Liderança do mal

Até parece que o Presidente Joe Biden quer tirar os Estados Unidos da liderança mundial no número de mortes por Covid-19.

A sua decisão de embargar o fornecimento de insumos para produção de vacinas fora dos EUA, está gerando dificuldades para países que vem logo abaixo do seu recorde de 570 mil mortes: Brasil (373 mil), e a Índia, que está na quarta posição, embora em março houvesse anunciado que a pandemia estava sob controle agora registrou 15,4 milhões de casos perto da liderança de 18 milhões de infecções ocorridos no território norte-americano.

Mas, internamente, há problemas: por haver um lote de vacinas, uma unidade fabril da Pfizer foi fechada, e a Moderna reclama que o embargo está prejudicando sua vacina destinada à exportação.

Menos vacinas

A Índia, líder mundial na fabricação, diante da rápida expansão da doença em seu território, decidiu fazer restrições às exportações para atender ao mercado interno daquele país de 1,3 bilhões de habitantes, o que representa quase sete vezes toda a população brasileira.

O Brasil será mais uma vez prejudicado e ficará na dependência da Anvisa liberar a importação da russa Sputnik, e da China continuar a fornecer insumos – o IFA, para os laboratórios estatais do Brasil.

A boa notícia é que a Índia se comprometeu a aumentar a produção da Covaxin, encomendada pela OMS, que pode reforçar a cota destinada ao Brasil, diante da gravidade da situação em nosso país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 18 =