Teólogo lança livro onde aborda a fé como ferramenta de confiança na espera

Teólogo Hélvio Costa é o autor de “Pelos Caminhos da Fé”

A pandemia de covid tem causado inúmeros sentimentos em milhões – quiçá bilhões – de pessoas pelo mundo, sendo alguns deles ruins, como pessimismo, desesperança, descrença e outros relacionados a esses. A perda de amigos e parentes, além do aumento da pobreza, tem contribuído para tais sensações ruins crescerem. Ciente do atual momento difícil pelo qual o mundo passa, o teólogo Hélvio Costa vai lançar ainda neste mês o livro “Pelos Caminhos da Fé”.

O exemplar, que trará a fé como resposta para pacificar o coração e a mente, será lançado através de uma live especial no canal do professor no YouTube, o Canal do Hélvio Costa. A temática também abordará a fé como a certeza daquilo que ainda não está presente, mas que é esperado com confiança.

“Esse livro chega em um momento necessário para a humanidade. Estamos passando por uma pandemia e nunca perdemos a fé. Mesmo nos momentos mais difíceis, nós contamos com a fé que tudo irá melhorar e que dias melhores virão e para isso contamos com o alicerce da palavra de Deus” revelou Costa, que, além de teólogo, é professor universitário e diretor da Faculdade Faces e CEO & Founder dos Conselhos do Instituto Cooperar Brasil.

Foto: Divulgação

Citando a Bíblia em diferentes partes da obra, ele se baseia no livro de Hebreus capítulo 11, onde o autor do trecho bíblico descreve, no versículo 6, que “Sem fé é impossível agradar a Deus”. O teólogo explica que isso mostra, entre outras coisas, que Deus sempre se coloca disponível à humanidade. Além disso, Costa explica a diferença entre crença e fé.

“Nós nascemos com uma capacidade de crer, e a fé tem uma dimensão espiritual. É um pouco diferente a sensação de crer e ter fé. Ela, a fé, é trazer para o tempo presente aquilo que é do tempo futuro dentro do tempo de Deus”, explica o teólogo.

Projeto social “Jovens que sonham”

Além do livro, o professor iniciou o projeto “Jovens que sonham”, no IvaPark, em Itaboraí, que oferece o curso de aquicultura de forma teórica e prática na criação de peixes tilápia. Ao final do curso, o jovem tem a possibilidade de trabalhar no próprio projeto e durante a prática recebe o valor correspondente ao seu trabalho.

Recentemente Costa esteve em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, onde a parceria do Instituto Cooperar de Inclusão e Transformação Social com o Degase realizou a formatura dos alunos do Centro de Socioeducação Professora Marlene Henrique Alves. Foi a entrega dos primeiros certificados do curso desde o início da pandemia.

“É gratificante demais ver que um projeto mudou a vida de tantas famílias. Enquanto grande parte da população ficou sem o seu sustento, nós conseguimos mudar esse cenário de algumas pessoas. O nosso objetivo está sendo cumprido, que é levar qualificação e renda aos jovens, que poderiam buscar essa solução de forma errada. Esse é o mundo que queremos, o meu desejo é que o IvaPark se espalhe em todo país”, celebrou o professor.

O Iva Park busca promover a inclusão social por meio da qualificação profissional, mediante o ensino da aquicultura e de outras modalidades técnicas de cultivo. O projeto propõe a instalação de unidades em todos os municípios brasileiros, sendo estas destinadas para a criação de peixes Tilápia. A duração geral do curso de aquicultura é de aproximadamente seis meses. Os interessados em conhecerem mais sobre o Instituto e projetos podem entrar no site https://cooperarbrasil.org/.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × cinco =