Temporal nesta madrugada deixa vários bairros do Rio alagados e sem luz

Um temporal atingiu o Rio de Janeiro no início da madrugada desta quinta-feira (15), deixando vários bairros alagados, com rios transbordando e ruas e avenidas interditadas. A prefeitura decretou Estágio de Crise na cidade à 0h25 minutos devido a “núcleos de chuva forte a muito forte, associados à atuação de áreas de instabilidade”, o que provocou um verdadeiro caos na cidade. Em Niterói apenas o grande número de raios assustou.

De acordo com o Sistema de Alerta Rio, pancadas de chuva, acompanhadas de descargas elétricas e rajadas de vento atingiram a capital fluminense nas últimas horas. O Estágio de Crise é o terceiro nível em uma escala de três e significa chuva forte, podendo provocar alagamentos e deslizamentos de terra.

O temporal provocou a falta de luz em vários bairros do Rio e também em cidades da Baixada Fluminense. As equipes de emergência da concessionária de energia Light estão nas ruas para atender os pedidos de emergência. No entanto, encontram dificuldades por causa das inundações causadas pelo transbordamento de rios e córregos. Muitos galhos de árvore caíram sobre a rede elétrica, deixando diversos bairros sem luz.

O Rio Maracanã que não transbordava há mais de dois anos, depois que a prefeitura construiu piscinões para conter a água da chuva nas praças da Bandeira e Varnhagen, na Tijuca, voltou a transbordar. Devido ao volume de água que desceu do Maciço da Tijuca, os bairros do Maracanã e da Tijuca ficaram alagados, as garagens de vários prédios encheram de água. A Avenida Maracanã chegou a fechar.

A Avenida Brasil, a Linha Amarela, Linha Vermelha e a Rodovia Rio-Petrópolis ficaram alagadas, deixando os motoristas presos no engarrafamento. Os túneis da Linha Amarela também foram atingidos. A Avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, ficou com mais de 1 metro de água de altura, deixando os motoristas ilhados.

O Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão chegou a fechar e um voo, que chegou de madrugada procedente de Buenos Aires, foi desviado para o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e outro da cidade do Panamá foi desviado para o Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte.

O rio que passa paralelo à Rua Nerval de Gouveia, entre os bairros de Quintino e Cascadura, na zona norte, transbordou. O mesmo aconteceu na Estrada do Tindiba, em Jacarepaguá. O bairro de Piedade também teve vários pontos de alagamento. O Rio Faria Timbó também transbordou, na altura dos bairros de Ramos e Bonsucesso, atingindo a favelinha da Skol, no Complexo do Alemão.

Na Lapa, na região central do Rio, uma árvore caiu na Avenida Gomes Freire, em frente ao número 380, interditando a via. Na Rua do Couto, na Penha, várias árvores caíram devido à força da ventania, que antecedeu o temporal.

A Estação de Jacarepaguá da Meteorologia registrou rajadas de vento de 69,4 quilômetros por hora (km/h). No Galeão, os ventos chegaram a 55,6 km/h e na Estação de Santa Cruz, 51,9 km/h. As sirenes de alerta do Sistema Alerta Rio foram acionadas em 76 comunidades, entre elas, no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, no Complexo do Lins e no Morro do Juramento, na zona norte.

O temporal durou mais de uma hora e somente depois das 2h30 da madrugada é que o nível dos rios e córregos começou a baixar e a situação começou a se normalizar. Para as próximas horas, há previsão de pancadas de chuva isoladas, de intensidade fraca a moderada, segundo o Alerta Rio.

Tempo chuvoso atrapalhou quem esticou feriadão
A chuva pairou em Niterói e o mau tempo deve se prolongar até na semana que vem. Quem pretendia esticar o feriado de carnaval em outros municípios, como os da Região dos Lagos, e até mesmo em Niterói, teve os planos interrompidos. A quarta-feira de cinzas literalmente ficou nublada e os pontos turísticos da cidade, como as praias, ficaram vazias. Em todo o Rio de Janeiro, nas estradas federais, 85 acidentes marcaram o feriado prolongado e resultaram em cinco mortes e 104 pessoas feridas.

Durante a manhã e início da tarde de ontem uma das principais rodovias que ligam Niterói com a Região dos Lagos teve trânsito livre. Motoristas não enfrentaram longos congestionamentos, o que deve acontecer no final de semana para quem resolveu esticar o carnaval. Foram contabilizados 1.500 testes do bafômetro com 62 multas (pela embriaguez e recusa da realização do teste). Mais de cinco mil infrações foram expedidas sendo 2.616 por excesso de velocidade, além de 1.206 por ultrapassagem proibida, segundo dados divulgados pela Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

De acordo com nota da PRF, no carnaval de 2017 foram mais acidentes (99) e mortos (seis), mas houve menos feridos (98). Um dos acidentes mais graves ocorreu na Rodovia Rio-Santos (BR-101), em Mangaratiba. Na manhã de domingo (11), uma colisão entre dois veículos deixou dois mortos e três feridos graves, na altura do quilômetro 448. Na noite do mesmo dia, na BR-493, em Magé, uma colisão frontal entre veículos deixou seis pessoas feridas com gravidade, na altura do km 18. Ainda de acordo com a nota outros três mortos foram registrados em acidentes na Via Dutra (BR-116), em Seropédica; na BR-356, em São João da Barra; e na Rio-Juiz de Fora (BR-040), em Duque de Caxias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 12 =