Temer recusa jantar em sua primeira noite preso

Na primeira noite preso, o ex-presidente Michel Temer dormiu em uma cama improvisada na sala do corregedor da Polícia Federal, no terceiro andar da Superintendência da Polícia Federal do Rio, na Zona Portuária, na Praça Mauá, centro do Rio. Abatido, segundo policiais federais, recusou o jantar oferecido, que poderia ser pedida por telefone ou comprada em restaurantes próximos. A sala onde dormiu Temer tem 20 metros quadrados e é um das poucas com banheiro privativo e conta ainda com ar condicionado e frigobar.

Inicialmente, o ex-chefe do Executivo Nacional seria levado para o Batalhão Especial Prisional (BEP), em Niterói, no bairro do Fonseca, mas, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, decidiu que ele ficaria na PF, por uma questão de tratamento isonômico, já que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também está preso na Superintendência da PF em Curitiba (PF).

Ontem, a defesa de Temer entrou com pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) e o deembargador Antônio Ivan Athié, designado como relator do processo, deverá julgá-lo hoje.

Já o ex-governador do Rio, Wellington Moreira Franco, passou a primeira noite no BEP, em Niterói, onde também está, desde novembro, o ex-governador Luiz Fernando Pezão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *