Teatro Popular de Niterói recebe projeto multiartístico internacional

O Teatro Popular Oscar Niemeyer recebe, de 18 a 23 de janeiro, o projeto multiartístico internacional “Zona Futuro”, que propõe o tema “Trabalho e Ficção”, em diálogo com a tragédia da pandemia da Covid-19. O projeto, em formato de residência artística em grupo, é voltado para artistas de diversas linguagens e resulta de uma parceria entre o Teatro Popular, o Coletivo Internacional ZONA D e o Centro Cultural Casa 264.

Facilitada pela artista e iniciadora de projetos alemã Eliza Goldox e pelo multiartista brasileiro Fell (Fellipe Vergani), a residência provoca os participantes a refletirem sobre o impacto, em diversos países, da situação de emergência da economia capitalista e da produtividade baseada na exploração de recursos naturais. Esse cenário convida a uma reflexão mais radical sobre formas de trabalhar, direitos e liberdades. Trata-se do primeiro capítulo do Projeto Zona Futuro, abrindo um espaço para que o grupo de artistas selecionados crie um ambiente temporário para reflexões e colaborações sobre questões trabalhistas, geração de valores e futuros possíveis através das próprias experiências e interesses artísticos.  

O Coletivo ZONA D trabalha com experimentações em grupo e dá tempo para cada artista mergulhar e relaxar para criar um espaço acolhedor para as trocas em conjunto. O projeto “Trabalho e Ficção” será realizado em português e inglês, mas não há obrigatoriedade de falar os dois idiomas. Ao final do processo, o Teatro Popular Oscar Niemeyer abrirá as portas para que os artistas compartilhem com o público os múltiplos fragmentos artísticos nascidos das atividades realizadas durante a residência. 

Os encontros acontecerão nos espaços multiuso do Teatro Popular Oscar Niemeyer, sempre das 14h às 18h. A atividade aberta ao público será no domingo (23), às 18h, em um espaço aberto do Teatro.
“Além de ser um programa realizado com a colaboração de artistas internacionais, o que nos levou a acolher o projeto no Teatro Popular foi a possibilidade de oferecer residência de forma gratuita a artistas periféricos da cidade. É mais uma ação com foco na ampliação de direitos culturais, um compromisso do Teatro alinhado com a Secretaria das Culturas de Niterói”, afirmou Andréa Terra, diretora artística do Teatro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.