Taxistas pedem extinção do Uber a vereadores de Niterói

Wellington Serrano

Uma comissão de taxistas foi recebida no início da tarde desta quinta-feira (16) pelos vereadores de Niterói. O encontro aconteceu um dia após protesto em frente à Câmara, que reuniu cerca de 200 taxistas. Na ocasião, uma audiência pública para o dia 13 de março, às 14h, ficou acertada para debater o transporte individual de passageiros em Niterói e a questão dos táxis no município. Além da audiência pública, está mantido o encontro com o prefeito Rodrigo Neves (PV) na próxima quarta-feira, dia 22.

Os taxistas tradicionais, filiados ao Sindicato de Niterói e a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), que chegaram a pedir a extinção dos aplicativos na cidade, querem que pelo menos o município regulamente o uso de carros particulares para o transporte de passageiros, que tem o Uber como o mais popular deles. Segundo os taxistas, os motoristas ligados a esses aplicativos estão tomando conta das ruas da cidade, “desrespeitando a legislação, contribuindo para o caos da mobilidade urbana e colocando em risco a segurança dos usuários”. Os taxistas ressaltaram que esse tipo de serviço não sofre ação da fiscalização e não paga nenhum imposto ou taxa a municipalidade.

O vereador Carlos Jordy (PSC) disse que não concorda com a extinção do Uber e se posiciona a favor da regularização. “Apesar dos argumentos dos taxistas que a concorrência é desleal e que o serviço deve ser extinto, meu posicionamento é pela regularização. Eles querem proibir e estão dando algumas alternativas para melhorar o serviço do táxi como a capacitação, o atendimento melhor e uma frota mais nova. Mas, no meu ponto de vista não podemos acabar com o Uber”, destaca o parlamentar.

Autor do requerimento em conjunto com outros vereadores que pede a audiência sobre o assunto, o vereador Betinho (SD) disse que a ideia é desonerar taxistas e onerar os aplicativos. “Nos dois serviços há uma corrida e um passageiro, mas as exigências para os motoristas são bem diferentes”, afirma.

Para o vereador Renato Carrielo (PDT), o importante no momento é se preparar para a audiência, que será o primeiro passo para entender o assunto. “Temos que pensar de forma global e discutir as autonomias e a regulamentação dos aplicativos. Ouvir todos os lados nessa hora é importante para a sociedade, pois apesar da fragilidade dos taxistas, temos vários desempregados trabalhando no Uber e nada melhor que uma audiência para acharmos o melhor caminho”, enfatiza Carrielo.

Na avaliação do presidente da Câmara, Paulo Bagueira, o caminho é o diálogo. “Além de serem recebidos pelo prefeito para discutir as suas demandas, estamos abrindo o plenário para que os profissionais possam discutir com a população, com o poder público, com representantes da categoria soluções para esse problema. Há uma queda de receita deles, aliada a uma concorrência muito grande com os aplicativos. Há de se construir uma solução e o diálogo é o melhor caminho”, afirma Bagueira.

Além de Bagueira, também participaram os vereadores Betinho, Beto da Pipa, Emanuel Rocha, Gabriel de Oliveira, João Gustavo, Leandro Portugal, Leonardo Giordano, Bira Marques, Paulo Eduardo Gomes, Paulo Velasco, Renato Cariello e Rodrigo Farah.

Sessões extras
Nesta sexta-feira (17), às 10 horas, e na próxima segunda-feira, no horário regimental das 17 horas, serão realizadas sessões plenárias extras. O objetivo é o de iniciar a análise e discussão da mensagem-executiva que determina o pagamento de gratificação de R$ 3,5 mil aos policiais que atuam em Niterói. As sessões extras servirão, também, para compensar as sessões das duas próximas quintas-feiras (23/2 e 2/3), quando não haverá sessões plenárias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + 10 =