Taxistas de São Gonçalo querem aumentar concessões

Wellington Serrano –

Taxistas de São Gonçalo se reuniram com vereadores para reivindicar o aumento do número de concessões, em conformidade com a quantidade de habitantes, desonerar os taxistas até que o poder público regulamente o transporte por aplicativos (aplicativo municipal único) e distribuição de pontos para cooperativas e universalização deles.

O encontro foi através de audiência pública que teve como tema “Mobilidade Urbana e a Concorrência com Transporte que utilizam Aplicativos”. Marcaram presença as associações, sindicatos e cooperativas do Rio e de Niterói.

O presidente da Câmara dos Vereadores, Diney Marins, que já foi taxista, garantiu que levará todas as reivindicações ao Poder Executivo. “Vamos fomentar o debate e buscar melhorias quanto à mobilidade urbana. Abrimos esta Casa Legislativa para que vocês possam fazer suas reivindicações para intermediarmos junto ao Poder Executivo. Acredito que poucos saibam, mas fui taxista e com este ofício consegui pagar a minha faculdade. Tenho um grande respeito pela categoria”, destacou Diney Marins.

No encontro, o presidente da Associação de Transporte Executivo (Astrex), Delmar Pereira, ressaltou que a categoria pretende cobrar o cumprimento das normas aprovadas e a regulamentação do transporte executivo. “Solicitamos as autoridades municipais que olhem pelos taxistas. Temos uma lei federal e outra municipal. Os aplicativos são usados de forma irregular e isso precisa ser cumprido. Um taxista tinha abandonado a categoria para virar Uber e retornou porque é um trabalho exploratório, onde se perde 25% de cada corrida”, observou.

Taxistas garantiram ainda que há enfrentamento direto com os motoristas dos aplicativos e existe falta de respeito com normas de trânsito. “Na cidade há faixas seletivas para ônibus e táxis. Eles não respeitam nem uma nem a outra e ainda oferecem o serviço sem utilizar o aplicativo, sendo motivo de discussão e brigas” explicaram.

O taxista William Sapucaia pediu que o Poder Executivo libere um número maior de autonomias de acordo com o número de habitantes da cidade. “Tem uma fila de mais de 400 pessoas esperando para pela autorização. A cidade tem cerca de 700 táxis, mas é necessário aumentar este número”, enfatizou.

No final da audiência pública, os taxistas apresentam 12 reivindicações aos Poderes Legislativo e Executivo, dentre elas rever a situação das condições dos motoristas auxiliares e de diárias; determinar o prazo para extinção das permissões de motorista auxiliar; flexibilização dos critérios de vistoriais anuais; intensificar as ações de fiscalização junto aos profissionais de transporte por aplicativos; discutir a distribuição de pontos para cooperativas e universalização dos pontos de táxis; revisão da tabela de preços do táxi após a desoneração e apresentação de novo projeto lei regulamentando a função.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *