Suspeitos de sequestrar helicóptero são de Niterói

De acordo com a Polícia, os homens envolvidos no sequestro do helicóptero no último domingo (19) são integrantes de uma quadrilha na Comunidade do Sabão, em Niterói.

O plano para resgatar traficantes em um presídio de Bangu foi frustrado depois que o piloto Adonis Lopes de Oliveira, entrou em luta corporal com os criminosos, evitando que o plano seguisse.

Segundo as investigações da Delegacia de Repressão ao Crime Oraganizado (Draco), os homens que alugaram o helicóptero são Marco Antônio da Silva, o Pará, gerente das bocas de fumo da região, e Khawan Eduardo Costa Silva. Ambos foram reconhecidos pelo piloto e aparecem em vídeos de um circuitos interno de câmera enquanto aguardam o abastecimento do helicóptero.

Marco Antônio da Silva, o Pará, e Khawan Eduardo Costa Silva

Durante as investigações a Policia Civil descobriu que eles exigiram que o helicópeto fosse do modelo esquilo, que cabem pelo menos 5 passageiros. “Eles queriam uma aeronave de pelo menos cinco lugares. Então, para nós, isso indica que mais de um detento iria fugir”, diz o delegado William Pena Júnior, titular da Draco.

O carro usado para deixar os criminosos no heliponto da Lagoa foi localizado pela Draco. O veículo pertence a um motorista de aplicativo que recebeu R$ 100 pela corrida, entre a região de Niterói e a Lagoa Rodrigo de Freitas.

Nas imagens, os dois aparecem de frente, o que facilitou a identificação. “Pará já estava foragido, pois foi preso, ganhou um benefício e evadiu do sistema. Ele é o gerente do Sabão, homem de confiança do Cabeça, que é o dono da favela e está preso no mesmo Vicente Piragibe”, explicou o delegado.

Carlos Vinícius Lírio da Silva, conhecido como Cabeça, é o chefe do tráfico da comunidade do Sabão, no Centro de Niterói, na Região Metropolitana. O criminoso foi investigado por, mesmo preso, comandar algumas das mais recentes guerras pelo controle de territórios na cidade.

Carlos Vinícius Lírio da Silva, conhecido como Cabeça

Cabeça era um dos quatro detentos que estavam na quadra do Presídio Vicente Piragibe, no complexo penitenciário de Gericino, à espera da chegada do helicóptero, que havia sido sequestrado, na tarde de domingo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + 14 =