Suspeito do estupro de uma criança de 4 anos é preso

Policiais da 75ª DP (Rio do Ouro) prenderam Alexandre Rodrigues da Cunha, de 29 anos. O homem é suspeito de estuprar a afilhada de apenas 4 anos da então companheira durante a madrugada desta terça-feira. De acordo com a polícia civil será pedido o mandado de prisão preventiva pelo fato confessado por Alexandre. O mesmo já possui uma passagem anterior pelo crime de estupro de vulnerável no ano de 2014 na área da 74ª DP (Alcântara).

Os agentes da polícia civil informaram que quando questionado sobre a acusação, Alexandre confessou o crime afirmando ter perdido o controle na hora e não saber explicar o motivo de ter cometido o abuso.

Contra o suspeito há também um mandado de prisão condenatória de seis anos e dois meses por roubo e corrupção de menores ocorrido em 2016 e Alexandre já foi levado para o cumprimento da sentença.

Segundo o relato da mãe da criança, ela e o seu marido são moradores da Comunidade do Preventório, em Niterói, e esticavam a comemoração do dia dos pais hospedados na casa da comadre no bairro do Almerinda, em São Gonçalo.

Ainda de acordo com a mãe da criança, um colchão foi colocado na sala pelos anfitriões para as visitas e enquanto os adultos conversavam na cozinha da residência por volta de meia noite ouviram gritos da criança que saiu do quarto dos anfitriões correndo, chorando e pedindo para ir embora. Em uma conversa com a mãe, a criança relatou sentir dores na barriga e que Alexandre havia tocado em suas partes íntimas.

O suspeito voltou a dormir no quarto onde o possível abuso ocorreu e também estavam dormindo os seus filhos de 3 e 5 anos. Confrontado ele à princípio negou o fato e conseguiu escapar. O pai da criança realizou buscas sem sucesso e os familiares foram até a delegacia do Rio do Ouro denunciar o caso.

De acordo com o exame de corpo de delito realizado no Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó, São Gonçalo, não foram encontrados indícios de conjunção carnal. Porém a polícia civil investiga a ocorrência de atos libidinosos.

Alexandre buscou refúgio na casa de uma irmã no bairro de Boa Vista, em Itaboraí. A madrinha da criança e agora declarada ex-companheira do suspeito afirmou que o relacionamento com Alexandre durou sete anos e que não sabia da passagem anterior dele pelo crime de estupro de vulnerável.

A mãe da criança tem um outro filho de dois anos que também estava na casa, está grávida e precisou junto do marido ser acalmada pelos policiais na porta da delegacia do Rio do Ouro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + quinze =